Didi Chuxing anuncia o modelo chamado D1 como o 1° carro do mundo pensado para o compartilhamento

Nem tão conhecido no Brasil, o gigante chinês da mobilidade Didi Chuxing, um dos principais rivais internacionais do Uber, acaba de lançar o seu próprio carro elétrico chamado de D1. Criado em parceria com a BYD, o modelo foi pensado desde o zero como um carro para compartilhamento e conta com tecnologias interessantes, dada a sua finalidade.

A DiDi (nome pelo qual é chamada popularmente) recorreu a muitos feedbacks e conselhos em um gigantesco banco de dados com informações de 550 milhões de passageiros cadastrados, o que levou à decisão de produzir o seu próprio carro. 

“Durante o processo de inúmeras atualizações do produto, percebemos que não estávamos satisfeitos com o progresso que fizemos para melhorar a experiência do usuário. Por isso, decidimos focar nossos esforços no próprio veículo”, disse o presidente da DiDi. , Jean Liu.

Galeria: BYD D1 (DiDi)

Enquanto o visual externo remete em alguns aspectos a modelos com o VW ID.3 e ID.4, como a dianteira, rodas, formato dos faróis, linha de cintura e teto bicolor, o novo D1 se destaca pelas soluções pensadas para o seu tipo de uso: o interior é versátil, tem bancos ergonômicos e portas automáticas de correr para facilitar o acesso dos passageiros.

Pensando desde o início como um carro para compartilhamento, o D1 permite que os usuários definam suas escolhas para a viagem por meio de um aplicativo. É possível definir a temperatura do ar-condicionado ou aquecimento, entre outras coisas, antes de iniciar o trajeto. 

BYD D1 (DiDi)

O monovolume é equipado com um sistema de condução autônoma nível 2, volante inteligente e também estão disponíveis tecnologias como Sistema de Segurança Móvel, reconhecimento facial, assistente de voz com Inteligência Artificial e sistema de pagamento integrado. O D1 é ainda um dos primeiros veículos elétricos a utilizar as novas baterias Blade da BYD.

Além da BYD, a empresa de mobilidade DiDi tem parceria com diversas empresas como Toyota, Volkswagen e Renault-Nissan-Mitsubishi além de FAW, BAIC e GAW em várias áreas como operação de frota, serviços, manutenção, fornecimento de energia e até projetos conjuntos de veículos. 

Após um programa piloto na cidade de Changsha em dezembro, as primeiras unidades do D1 começarão a ser entregues gradualmente aos parceiros de frotas nas principais cidades do país. E como quase tudo na China, os planos são bem ambiciosos: a DiDi planeja colocar em serviço nada menos que 1 milhão de veículos conectados e com a tecnologia de condução autônoma até 2025.

Fonte: Autohome, Motorpasion