Baseado na plataforma 'MEB-lite', compacto irá custar cerca de 25.000 euros (sem incentivos)

O Tesla de 25.000 euros é a nova aposta de Elon Musk. Mas enquanto isso em Wolfsburg eles mal podem esperar para lançar algo no mundo de emissões zero mais acessíveis com um novo modelo da família ID. O resultado do projeto compacto, que ficará abaixo do ID.3 e será uma espécie de Polo a bateria, avança em ritmo frenético.

A Volkswagen ainda não deu muitos detalhes, exceto confirmar que o compacto irá custar entre 20 e 25 mil euros (R$ 127.800 e R$ 160.000). Não sabemos qual será o formato da carroceria, nem como se ele chamará e nem onde será construído. Mas o mais importante do ponto de vista técnico já é conhecido: será baseado na arquitetura MEB.

Galeria: Volkswagen ID.3 (2020) - teste

Depois de anunciar um plano ambicioso para a China, que permitirá ao fabricante alemão comercializar 8 carros elétricos por lá até 2023, a Volkswagen está desequilibrada ao confirmar que no Velho Continente a prioridade é o carro (ou carros) que idealmente poderiam ser o ID.2 e ID.1.

Corte Técnico 2021 Volkswagen ID.4

Será um carro produzido e vendido globalmente como o ID.4 ou será um carro dedicado apenas à Europa? Ainda não se sabe. Certamente, porém, o mercado europeu será o seu principal alvo. 

Segundo fontes ligadas ao projeto, o desenvolvimento dos menores modelos da linha ID segue a todo vapor. Inicialmente previstos para 2025 pelo cronograma oficial vazado há poucos dias, eles devem chegar ao mercado antes disso, em 2023.

Onda elétrica

A Volkswagen pressiona a Europa por mais de um motivo: tanto pelos limites de emissões, que são os mais rígidos do mundo, quanto pelas previsões de crescimento do mercado elétrico, que oferecerá grandes oportunidades. De fato, acredita-se que em 2030 os carros elétricos a bateria vendidos em relação ao mercado total rondarão os 60%, enquanto anteriormente se pensava que essa participação fosse de 40%.

Independentemente do mercado, a Volkswagen pretende vender 1,5 milhão de carros elétricos por ano até 2025, com um resultado de 1 milhão de unidades vendidas até 2023.

Entretanto, precisamente para manter um papel de liderança na transição energética (na Europa tornou-se o primeiro fabricante entre zero emissões), e para apoiar um ambicioso plano de transformação que levará a VW de fabricante de automóveis a empresa de serviços, os 61 bilhões de euros inicialmente atribuídos ao domínio digital e às novas tecnologias aumentaram para 72 bilhões. Em suma, o negócio é sério.

Galeria: Volkswagen e-up! 2020