A Toyota está confiante de que seu próximo carro elétrico movido a hidrogênio será um sucesso mundial

A Toyota tem grandes planos para seu próximo sedã esportivo elétrico movido a célula de combustível Mirai, cuja estreia oficial irá acontecer até o fim do mês. Com ele, a montadora japonesa deseja ver um aumento exponencial no número de Mirais vendidos ao redor do mundo, o que atualmente parece uma meta bastante ousada dada a popularidade ainda limitada desse tipo de veículo.

Mas a Toyota está convencida de que o Mirai tem o que é preciso para convencer os compradores, especialmente porque tem um novo "foco na construção de um apelo mais emocional por meio do design e da qualidade de condução, além do desempenho ecológico do Mirai."

Galeria: Toyota Mirai FCV

Em um recente comunicado à imprensa sobre o novo Mirai, a Toyota fala sobre todas as características que devem tornar o carro atraente para os compradores. Em primeiro lugar, é interessante que ele esteja sendo proposto como um sedã esportivo com tração traseira - até agora não houve nenhum FCV esportivo no mercado de massa, e com sua distribuição de peso de 50:50, isso torna o Mirai único. 

Este novo Mirai terá suspensão multilink dianteira e traseira, substituindo a suspensão dianteira MacPherson mais básica e a suspensão traseira com barra de torção do modelo atual. Isso deve melhorar a aderência na pista, o conforto e deve reforçar a sensação esportiva que a Toyota está tentando transmitir com este modelo.

Toyota Mirai FCV

A Toyota também aponta que o próprio sistema de célula de combustível foi reduzido - ele é menor e mais leve do que antes, e o trem de força elétrico também apresenta componentes totalmente revisados ​​em comparação com os que o fabricante usava anteriormente. Além disso, com o uso da plataforma modular GA-L, o fabricante pode adicionar um (terceiro) tanque de hidrogênio que pode aumentar a autonomia total para cerca de 650 km.

A potência máxima do veículo também será ampliada, de 114 kW (152 cavalos de potência) para 128 kW (171 cavalos de potência). O pacote de bateria de íon de lítio integrado agora é menor e tem uma tensão mais alta do que antes (310,8 V contra 244,8 V antes); na verdade, também pesa menos do que antes (o peso foi reduzido de 49,6 kg para 44,6 kg).

Mas a Toyota realmente espera vender 10 vezes mais Mirais novos? Bem, parece convencida de que o fato de que o novo carro será cerca de 20 por cento mais barato, em combinação com todos os itens acima, será o suficiente para torná-lo atraente. Na teoria, tudo parece muito bom, mas o modelo terá dificuldades em encarar o mar de veículos elétricos a bateria novos e muito capazes que já estão no mercado, especialmente porque há muito mais estações de carregamento do que postos de abastecimento de hidrogênio mundo afora.

Em dos principais mercados para o modelo, os Estados Unidos, o Mirai está à venda apenas na Califórnia e no Havaí, justamente porque outros estados ainda não possuem a infraestrutura de reabastecimento necessária. Mesmo assim, a Toyota parece convencida de que está seguindo uma fórmula vencedora e será muito interessante ver como a nova geração do Mirai será recebida pelos compradores e pela imprensa automotiva.