Executivo da marca confirmou a data para eliminar os carros exclusivamente a combustão do portfólio

Depois de ter fechado um acordo de pooling com a Tesla por não ter conseguido atingido as metas de emissões na Europa, a Honda agora pretende adotar uma abordagem mais agressiva em termos de eletrificação com a eliminação dos carros exclusivamente a gasolina e a diesel do seu portfólio no Velho Continente a partir de 2022. 

Conforme a matéria do site britânico AutoCar, a montadora japonesa pretende passar a comercializar somente carros elétricos e híbridos no continente para atender aos cada vez mais rigorosos regulamentos de emissões de CO2. O vice-presidente sênior da empresa, Ian Howells, disse:

"Ela [a linha da Honda] será uma combinação de totalmente elétrico e híbrido", afirmou. "Obviamente, se a legislação começar a mudar quando nos aproximamos de 2035, ou se nos afastarmos do híbrido também, então mudaremos nosso tecnologia para longe disso."

Galeria: Honda Fit 2020

Muitas vezes questionada por não apostar de forma mais agressiva nos carros 100% elétricos, a Honda acredita em uma abordagem de múltiplas vias para reduzir suas emissões de carbono e mesmo com o anúncio recente de que o Reino Unido irá banir os carros a combustão em 2030 não mudou essa visão, segundo Howells. 

O executivo acredita que há espaço para várias tecnologias:

"Há um papel a desempenhar para os combustíveis limpos, para a biomassa, para o hidrogênio e até certo ponto para os combustíveis convencionais e também para as baterias", afirmou.

Mesmo ciente das limitações dos carros híbridos, Howells não acredita que os carros 100% elétricos sejam uma solução imediata para reduzir as emissões. O executivo diz que eles são de 1/3 a 50% mais caros que um veículo a combustão ou híbrido. Sua conclusão é que a Honda acredita na tecnologia híbrida como eficaz para fazer a transição responsável para mobilidade totalmente elétrica. 

Fonte: Autocar

Galeria: Honda e 2020