O CEO da empresa, Markus Duesmann, acredita que os veículos elétricos se tornarão tão lucrativos quanto a combustão até 2024

A Audi faz parte do reduzido grupo de montadoras que já anunciaram quando vão parar de desenvolver novos carros a combustão (em 2026) e também quando vão parar de vendê-los de forma definitiva (em 2033). Isso significa que, em doze anos, a Audi venderá apenas carros elétricos, e para isso precisa encontrar meios de torná-los lucrativos o quanto antes para garantir seu futuro.

Mas em uma análise otimista, o CEO da Audi, Markus Duesmann, acredita que a empresa começará a ganhar dinheiro com carros elétricos em apenas 2 a 3 anos. A marca quer aumentar a produção em mais de 30% até o final da década, dos esperados 2 milhões de carros neste ano para 3 milhões em 2030. E nessa tempo, a maioria dos veículos na linha serão exclusivamente alimentados por baterias. 

Galeria: Audi A6 e-tron Concept

O que Duesmann também está deixando subentendido é o fato de que a safra atual de veículos elétricos da Audi não é tão lucrativa quanto sua linha de carros a combustão. E ainda, uma vez que o executivo acredite que apenas mais dois ou três anos sejam necessários para os elétricos se tornarem lucrativos, isso significa que eles não estão muito longe do objetivo - não temos certeza se a Audi está perdendo ou ganhando dinheiro com seus elétricos, mas nós acreditamos que isso deve variar de modelo para modelo.

Galeria: Audi Q4 e-tron - produção

Suas margens de lucro no e-Tron GT e Q4 E-Tron devem ser muito boas, dado o fato de que ambos são construídos sobre plataformas compartilhadas com outras montadoras (Porsche e Volkswagen, respectivamente). A Audi tem planos de adicionar vários veículos elétricos à sua linha e atingir um total de 20 carros movidos a bateria até 2025.

Também sabemos que modelos como os atuais A3 e A4 não terão mais um sucessor direto a gasolina quando forem descontinuados, embora tenham substitutos elétricos. Em relação ao A6, a Audi venderá as versões a combustão e elétrica (que na verdade serão dois carros completamente diferentes rodando em plataformas completamente diferentes), e ambos devem estar à venda no próximo ano.

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram