Investimento de US$ 486 milhões e parceria com a sueca Northvolt

Northvolt Zwei. Este é o nome da fábrica que será montada no complexo da Volkswagen em Salzgitter, como parte da joint venture entre a empresa alemã e a fabricante sueca de baterias Northvolt, na fase de maior impulso no processo de desenvolvimento deste setor chave para a eletrificação de veículos.

Será um investimento de cerca de 450 milhões de euros (US$ 486 milhões) com início estimado de produção de baterias em 2024, sendo a capacidade inicial de 16 gigawatt-hora. Os trabalhos na nova fábrica começarão ainda este ano.

Polo de desenvolvimento de baterias da Volkswagen

Com o caminho trilhado pela Tesla rumo a Gigafactory, a Volkswagen tenta seguir um plano que começou alguns meses atrás. Em setembro de 2019, o Grupo de Wolfsburg e a Northvolt se uniram para se preparar para a produção em larga escala de baterias de íons de lítio na Alemanha, e agora é dada a aceleração pelo compromisso da própria VW em construir instalações e infraestrutura.

Estrutura que, no cálculo do plano de eletrificação da gigante alemã, está ligada a outros polos estratégicos como Zwickau ou Mlada Boleslav, Leipzig, Kassel, Hanover ou Emden. Todos os espaços estratégicos que foram integrados ou que serão integrados aos planos elétricos neste ano de 2020 e que se somam aos já presentes Wolfsburg, Chemnitz e Polkwice. Todas as fábricas que, juntamente com as aquisições na Espanha, nesses dois anos, serão conectadas nesta nuvem.

"Estamos otimizando a posição estratégica do grupo Volkswagen no futuro setor de baterias." "Além de uma base de suprimentos muito segura com fabricantes externos, também estamos desenvolvendo sistematicamente recursos adicionais". Stefan Sommer, diretoria da Volkswagen e Northvolt AB.

Nova fronteira

Obviamente, isso não levará, pelo menos por enquanto, ao fim de relacionamentos estratégicos com fornecedores chave, como LG Chem, Samsung e SK, além da Catl para a China. Especialmente porque, somente no velho continente, a Volkswagen prevê uma demanda anual de mais de 150 gigawatts-hora a partir de 2025.

A sensação, portanto, é que, nos próximos anos, veremos muitos concorrentes se moverem fortemente da produção e desenvolvimento "simples" de carros para aumentar o compromisso em segmentos paralelos, incluindo baterias e fornecimento de energia, como a Volkswagen com o projeto Elli e a Tesla.

Galeria: Polo de desenvolvimento de baterias da Volkswagen