Nesta data serão revelados preços, versões e equipamentos

  • Sedã elétrico promete luxo e qualidade de construção para rivalizar com a Tesla
  • Desempenho também será o ponto forte, com 1.800 cv de potência declarados

O mundo dos carros elétricos está se preparando para receber oficialmente um novo fabricante. Trata-se da norte-americana Lucid Motors, que após anunciar em várias ocasiões que está trabalhando no sedã elétrico Air, confirma hoje a sua data da apresentação oficial: 9 de setembro.

Nesse dia, a empresa sediada no Vale do Silício mostrará o design definitivo do carro, tanto externo como interno, e também emitirá todas as informações técnicas sobre o motor, a autonomia e o desempenho. Na mesma data será revelada a lista de preços e versões.

Galeria: Lucid Air Concept

Por mais que o Lucid Air se torne realidade já no segundo semestre, no entanto, para comprá-lo, os clientes terão que esperar um pouco mais. Na prática, a venda do carro elétrico sofreu atrasos e só começará em 2021. 

Juntamente com a divulgação da data de apresentação, a Lucid Motors também anunciou que concluiu os testes de rodagem nos protótipos de pré-produção, chegando ao acerto definitivo do Lucid Air.

 

O anti Tesla Model S

O carro chegará ao mercado com a intenção de que precisa se estabelecer como um concorrente direto do Tesla Model S e, de acordo com o designer Peter Rawlinson, que no passado trabalhou na "Casa" de Elon Musk, será muito melhor que o modelo rival de Palo Alto.

Credenciado com números de potência bastante altos, o carro, em 2018, já provou seu potencial ao concluir a volta em Laguna Seca em 1'41 "67, o mesmo tempo que um Porsche Cayman R de primeira geração (1'41" 64), estabelecendo um novo recorde de volta na categoria de veículos elétricos e superando o Jaguar I-Pace em cerca de 7 segundos.

Lucid Air Concept - 13
  • Potência máxima: 1.800 cv
  • Velocidade máxima: mais de 320 km/h
  • 0-100: 2"5
  • Autonomia: cerca de 550 km (NEDC)

A Lucid anunciou inicialmente que a apresentação do Air seria no Salão de Nova York 2020, que aconteceria em abril. Com o evento cancelado devido ao Coronavírus, a casa californiana também foi forçada a revisar seus planos.