Será que os veículos híbridos e elétricos não estão fazendo a diferença?

  • Europa tem visto um aumento nas emissões médias dos seus veículos
  • SUVs e crossovers, mesmo eletrificados, são os principais responsáveis pelo mau desempenho

Na Europa, as montadoras precisam cumprir metas cada vez mais rigorosas de CO2 para toda a sua gama de veículos. Algumas marcas provavelmente nem queriam investir em veículos elétricos, mas agora estão sendo forçados a fazê-lo ao invés de se arriscar a sofrer as pesadas multas da União Europeia que podem chegar a bilhões de euros. 

Embora a maioria dos fabricantes, com exceção da Fiat-Chrysler, esteja se esforçando para colocar o maior número de veículos elétricos e eletrificados em seus portfólios, parece que não está causando um impacto grande o suficiente para amenizar as emissões. A Reuters relata que, embora haja mais híbridos plug-in e elétricos do que nunca, as emissões médias do continente não estão diminuindo na velocidade necessária.

Galeria: Jeep Renegade e Compass PHEV - Salão de Genebra 2019

Na prática, elas não estão nem caindo, estão aumentando. A análise compara as emissões médias de todos os veículos novos vendidos em todos os países da UE, com exceção da Grã-Bretanha, Noruega e Islândia entre 2018 e 2019. A média para 2018 foi de 120,8 g/km de CO2 e em 2019 aparentemente subiu para 122,4 g/km de CO2.

Eles citam uma declaração feita pela Comissão Europeia que afirma:

"Os fabricantes terão que melhorar a eficiência de combustível de sua frota e acelerar a implantação de veículos de baixa e baixa emissão."

No entanto, mesmo assim, a fonte salienta que ainda estava abaixo dos 130 g/km de CO2 atualmente exigidos pela UE. Para 2020, porém, a meta será de apenas 95 g/km de CO2, um número que será muito mais difícil de alcançar - isso significa que eles teriam que conseguir uma redução de 22%.

A Reuters também tenta apresentar algumas explicações para isso. A lógica é que, embora as montadoras estejam fabricando carros mais limpos e econômicos, os compradores estão migrando para os utilitários esportivos, basicamente cancelando os benefícios de novos e melhores sistemas de transmissão e propulsão; Os SUVs e crossovers representaram 38% de todas as vendas de carros novos na Europa em 2019, um número que será ainda maior neste ano.

Fonte: Reuters