Analistas políticos veem a mudança como um esforço para vencer em um estado crucial

Donald Trump e Joe Biden tiveram seu primeiro debate em Cleveland, Ohio, um estado considerado crucial para vencer as eleições presidenciais. Em 28 de setembro, o presidente dos Estados Unidos revelou um veículo que será produzido em Ohio na Casa Branca. É a Lordstown Endurance, a picape elétrica que será construída na antiga fábrica da GM em Lordstown.

Os analistas políticos veem o movimento incomum como uma tentativa de ganhar mais votos em Ohio. Embora a GM tenha ajudado a Lordstown Motors a se estabelecer em sua antiga fábrica depois de matar o Chevrolet Cruze, ela foi apresentada como uma espécie de vilão em toda a história por sua decisão de fechar a fábrica.

Primeiro, Trump disse: "Temos trabalhado nisso por muito tempo porque a General Motors deixou a fábrica." Logo depois, ele consertou as coisas mencionando que "Acho que a General Motors é sua parceira".

O conselheiro comercial da Casa Branca, Peter Navarro, também destacou como a decisão da GM afetou Ohio.

"Quando a GM fechou aquela fábrica do Cruze, foi um golpe devastador para o Vale Mahoning. O presidente entrou em ação, o senador Portman entrou em ação."

Segundo Navarro, foi como se tivessem convencido a GM a ajudar.

"Começamos a trabalhar com a GM, e a empresa fez uma parceria com capital para que isso acontecesse, bem como generosamente deu a eles algumas dicas dentro de Lordstown."

Finalmente, o senador Robert Portman disse o seguinte:

"Lordstown, Ohio, levou um soco no estômago quando a General Motors decidiu parar de fabricar o Chevy Cruze e desistiu. Mil e quinhentos trabalhadores perderam seus empregos imediatamente. Eles realmente reduziram a força de trabalho ao longo do tempo."

Galeria: Lordstown Motors Endurance

O CEO da Lordstown Motors, Steve Burns, também esteve presente e revelou algo importante sobre a produção que não foi dito na inauguração oficial, em 25 de junho de 2020.

De acordo com Burns, a empresa fará "em torno de 100.000 unidades assim que começarmos" a cada ano, um número muito maior do que as 20.000 unidades anunciadas para 2021 - a empresa planeja iniciar as entregas em janeiro.

Como Trump parecia encantado com o fato de a caminhonete elétrica ter motores no cubo - que aumentam a massa não suspensa - Burns disse que a solução permitiu que a Endurance fosse a primeira caminhonete com um porta-malas. 

"Está na frente. Então você pode chamá-lo de 'frunk', mas você tem que pronunciá-lo com cuidado, certo?"

Lordstown Endurance Interior - painel

Toda a situação mostra como a fabricação de automóveis não é apenas economicamente relevante, mas também algo que os políticos podem tentar usar a seu favor ou contra seus oponentes. Isso é parte do legado com o qual as montadoras tradicionais precisam lidar - e que pode se voltar contra elas. 

Se tal político ganhar as eleições, isso pode se tornar lei. As empresas dispostas a fechar fábricas antigas para mudar seus negócios não seriam capazes de fazê-lo. Eles poderiam ser forçados a continuar produzindo veículos com motor de combustão em vez de veículos elétricos para preservar empregos, por exemplo. 

Mais do que uma história para contar nos próximos anos sobre a eleição presidencial de 2020, este episódio revela como é difícil fabricar carros. Infelizmente, há questões muito além das dificuldades técnicas que podem fazer as empresas terem sucesso ou fracassar.

Fontes: YahooDaily MailFox Business e Casa Branca