Produzida nos EUA, a Atlis XT terá 3 opções de baterias e tecnologias inéditas quando chegar ao mercado em 2022

Quando falamos sobre picapes elétricas, logo pensamos em Rivian R1T, GMC Hummer EV, Tesla Cybertruck e Ford F-150 EV. Outros players, como a Lordstown Motors, geralmente são lembrados por quem acompanha mais de perto os futuros produtos desse segmento. Outro exemplo é a norte-americana Atlis e sua picape elétrica XT. Tínhamos poucas informações até que a empresa divulgou mais detalhes: potência, torque, preços e opções de pacote de bateria.

O que sabíamos até o momento é que a picape XT terá opções de autonomia de 480, 640 e 800 quilômetros, mas até então não havia detalhes sobre as versões com baterias menores. 

Galeria: Atlis XT - picape elétrica

A Atlis disse ao InsideEVs que a opção mais em conta teria 125 kWh e custaria US$ 45.000 (R$ 230.000) para a versão de entre-eixos curto. A empresa não divulgou o tamanho da bateria intermediária, que entrega 640 quilômetros, mas apostaríamos em algo entre 175 kWh e 200 kWh. O preço também não foi divulgado, mas apostamos em algo na faixa de US$ 65.000 (R$ 332.200).

O Atlis XT topo de gama pode ter 800 quilômetros de alcance com sua grande bateria de 250 kWh. Com capacidade de reboque de 15,8 toneladas e carga útil de 2,2 toneladas, essa opção custará US$ 85.000 (R$ 434.000). Vale lembrar que o Atlis XT será uma picape full size, com opções de caçamba que variam de 2 a 2,5 metros. 

Atlis revela preços da picape XT, opções de pacote de bateria e muito mais
Atlis revela preços da picape XT, opções de pacote de bateria e muito mais

Aparentemente, todas as versões do XT fornecerão 600 cv - medidos como potência contínua - e 1.650 kgfm de torque nas rodas. Com um motor para cada roda, não sabíamos se a Atlis os instalaria como motores integrados, como fez a Lordstown Motors.

O vídeo abaixo esclarece isso. Isso mostra que o Buck - a plataforma de desenvolvimento que a empresa está utilizando para sua base XP - tem seus motores colocados no chassi. Isso evita problemas de massa não suspensa.

Neste vídeo, também podemos ver que o Atlis terá o sistema steer-by-wire, algo que exigirá sistemas robustos e redundantes para que os motoristas fiquem absolutamente seguros ao dirigir. Não ter nenhuma conexão física com as rodas dianteiras também fará com que a condução seja um verdadeiro desafio nesta nova picape. 

A Atlis também destaca os sistemas brake-by-wire também. Se isso estiver correto, isso é algo mais que exigirá sistemas realmente confiáveis ​​e redundantes para tranquilizar os compradores em potencial. Quando a Daimler apresentou o sistema Brake-by-wire SBC no SL 2001 (o R230), um experiente jornalista perguntou a um dos engenheiros da empresa se ele confiava no sistema.

Quando o engenheiro disse que sim, este jornalista insistiu e perguntou se ele colocaria sua família em um carro e aceleraria até 200 km/h antes de pisar no freio para não bater em uma barreira de concreto. Esse engenheiro disse que nunca faria isso. Em dezembro de 2005, a Daimler decidiu não usar mais os freios SBC em nenhum de seus carros.

As coisas podem ter evoluído muito nestes 15 anos - como o Audi E-Tron está tentando provar - mas será que a Atlis apresentará uma solução confiável que ninguém mais ousou adotar? Em uma caminhonete elétrica de tamanho normal? 

Atlis XT - picape elétrica - painel

Para chegar lá, a empresa planeja construir 100 protótipos de pré-produção em 2021 e Pretende começar a vender o XT em 2022. Pelo que vimos até agora, pode levar muito mais tempo do que isso: ainda vamos esperar por um protótipo totalmente funcional da nova caminhonete elétrica. Esperamos ansiosos que a Atlis tenha um para apresentar em breve.