Considerados 'ecológicos', esses veículos pagam menos impostos em comparação aos exclusivamente a combustão

Em 23 de novembro, a T&E (Transporte e Meio Ambiente) alertou que a maioria dos híbridos plug-in eram apenas "carros elétricos falsos, construídos para testes de laboratório e incentivos fiscais, não para dirigir de verdade". Foram as palavras de Julia Poliscanova, diretora sênior de veículos limpos da T&E. Algum tempo depois, a tradicional revista alemã Autobild confirmou que os PHEVs emitem muito mais do que afirmam os dados oficiais, como você pode ver no tweet abaixo, compartilhado por Critical Matt.

 

Aqui está o que ele escreveu: "Aqui vemos toda a especulação do #PHEV em preto e branco no #Autobild. Consumo que excede a especificação de fábrica em 400% (!!!! 11 !!). Impostos para utilitários grandes como Cayenne, Touareg ou Explorer de 2,5 toneladas? Apenas 60 euros.

@kkklawitter

@DudenhofferAUTO

#wandel"

Volkswagen Touareg R eHybrid (PHEV)

O teste da Autobild foi publicado na edição 52-53/2020 da revista com três híbridos plug-in: VW Touareg, Porsche Cayenne e Ford Explorer. Na página compartilhada por Critical Matt, podemos ver que o Touareg PHEV apresentou emissões de CO2 de 284 g/km. Isso representa um desvio de 387% em relação às emissões informadas pela Volkswagen.

teste consumo emissoes

O Cayenne E-Hybrid emitiu 274 g/km de CO2, o equivalente a um desvio de 359% dos números oficiais. O pior do trio foi o Ford Explorer 3.0 Ecoboost PHEV, com um desvio de 407% de seus números oficiais de CO2: ele emite 289 g/km.

Ford Explorer PHEV

Os nossos amigos da edição norte-americana do InsideEVs entraram em contato com a Autobild para verificar se os números estão corretos e se há alguma observação sobre o “Testverbrauch” (teste de consumo) e o “Abweichung” (desvio) apresentados pelos veículos. A revista alemã ainda não respondeu ao pedido de informação.

Para todos os três híbridos plug-in testados, os impostos por ano são de apenas 60 euros (R$ 391,00). Este é o principal ponto sobre o qual a T&E alertou. Segundo a ONG, os incentivos do governo só devem ser dados para veículos realmente limpos. Os PHEVs poderiam ser limpos se oferecessem autonomia mais ampla, capacidade de carregamento rápido e motores menores, usados ​​principalmente para recarregar a bateria em vez de impulsionar os veículos.

Como muitos são lançados atualmente, a T&E teme que eles sejam apenas um engodo para fazer com que os motores grandes permaneçam em produção pelo maior tempo possível, com a desculpa de que podem funcionar como veículos elétricos - normalmente com uma autonomia baixa. 

Conforme alertamos, se os híbridos recarregáveis continuarem apresentando números de emissões tão altos, eles podem levar a um tipo de escândalo de emissão semelhante ao que tivemos com o Dieselgate. Para proprietários desse tipo de veículo, a recomendação é usar esses veículos o máximo possível no modo totalmente elétrico.

Galeria: Volkswagen Touareg R eHybrid (PHEV)