As corridas de resistência incluirão carregamento ultrarrápido durante os pit stops

FIA, órgão regulador do automobilismo mundial, anunciou uma nova categoria de corrida de carros elétricos. Os carros de corrida serão baseados na categoria GT3 e a FIA diz que esses próximos carros de corrida elétricos "irão exceder seus equivalentes com motor de combustão em áreas como aceleração e ritmo de qualificação"

A FIA quer fabricantes automotivos e especialistas em veículos elétricos que não tenham competido anteriormente para entrar na competição. 

Galeria: FIA Electric GT

O peso mínimo para esses carros de corrida será entre 1.490-1.530 kg, que é um pouco mais do que um carro de corrida GT3 regular. De acordo com a FIA, "Definir o limite de peso mais alto do que para a classe GT3 limitará o uso de materiais caros." 

A potência máxima permitida é 430 kW (584 cv). Isso garante um tempo de 0 a 100 km/h de apenas 2,4 segundos. Os regulamentos estabelecem um limite de tamanho de bateria de 87 kWh. Os carros de corrida poderão ter dois ou quatro motores elétricos e as configurações de tração podem ser duas ou quatro rodas. 

A FIA afirma que os próximos carros de corrida:

"Também contará com controle de dinâmico do veículo que ajustará automaticamente o torque de cada roda de forma independente com base na velocidade, aceleração, tração e ângulo de direção, garantindo assim que os carros terão características de condução supremas."
FIA Electric GT

Uma vez que este tipo de corrida envolve corridas de resistência, a FIA implantará carregamento ultrarrápido para pit stops no meio da corrida. De acordo com a FIA:

"As células foram projetadas para permitir uma regeneração de pico de 700kW e uma recarga rápida de 700kW, o que lhes permitirá reabastecer até 60% de sua capacidade em poucos minutos durante um pit stop no meio da corrida."

A FIA também afirma que:

"A rede de carregamento será desenvolvida para atender aos requisitos de carregamento rápido e, dependendo do local, incluirá elementos de infraestrutura permanente e temporária."

As equipes concorrentes terão permissão para escolher e construir seu próprio layout de bateria exclusivo (ao contrário da Fórmula E), que será fornecido pela Saft, uma subsidiária da petroleira Total. As baterias serão baseadas em células de pack de íons de lítio. 

O comunicado da FIA também menciona a visão de sustentabilidade da organização:

"A introdução deste novo conceito está em linha com a visão de longo prazo da FIA para a implementação de fontes de energia sustentáveis ​​em todo o seu portfólio de disciplinas do automobilismo, estabelecendo assim um exemplo na abordagem para a redução da emissão de CO₂, ao mesmo tempo refletindo as últimas tendências da indústria automotiva e respondendo às demandas do mercado."

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram