Será o carro elétrico mais barato do Grupo Renault, abaixo do Twingo Z.E.

Nesta época do ano, as fabricantes apresentam os resultados de 2019 aos seus investidores e os planos para os próximos anos. O Grupo Renault fez o mesmo e, no meio da apresentação, estava sua estratégia de veículos eletrificados até 2022. Além do destaque para o Renault Zoe reestilizado e das variantes híbridas dos novos Captur, Megane e Clio, a empresa adiantou que lançará um carro elétrico da Dacia, voltado para as cidades - e tudo indica que será o City K-Ze, versão elétrica do Renault Kwid que já foi lançada na China.

Dacia EV

Os planos do Grupo Renault mostram a chegada do Twingo Z.E. ainda em 2020, junto com Captur e Megane com motorização híbrida plug-in, e o Clio E-Tech, com um sistema híbrido convencional. Entre 2021 e 2022 serão a vez de mais dois PHEV, um baseado em um modelo já existente e outro inédito, enquanto o híbrido convencional será usado em mais três novos veículos e uma nova versão. Entre os elétricos está o que a empresa chama de "Urban City car" da Dacia e o primeiro carro com a plataforma CMF-EV, feita exclusivamente para modelos puramente elétricos.

Vamos focar no carro urbano da Dacia, que é o mais próximo de nós. Até o momento, a fabricante não revela exatamente qual será este modelo, mas ele será o Kwid elétrico, vendido na China como City K-ZE. Isso ajudaria a posicionar o veículo abaixo do Twingo Z.E., como uma opção mais barata e menos refinada. A própria Renault disse há um tempo que iria "anunciar uma variante do K-ZE, adaptada pra a Europa, como o ponto de entrada para a mobilidade de zero emissões". 

Galeria: Renault City K-ZE - Salão de Xangai

O lançamento na Europa levará um tempo por conta das mudanças que precisam ser feitas no K-ZE, para melhorar a sua segurança, já que as normas europeias são muito mais rígidas. O subcompacto é equipado com um motor de 42 cv e 12,7 kgfm, abastecido por um conjunto de baterias de 26,8 kWh e com uma autonomia de 271 km. Espera-se que ele receba baterias melhores para aumentar essa autonomia.

Enquanto o Renault K-ZE custa apenas 61.800 yuan (8.146 euros pela cotação atual) na China, é bem capaz que ele fique mais caro do que isso por conta dos custos e também para que possa ficar mais próximo dos seus competidores como Volkswagen e-Up!.

Com o Renault Kwid K-Ze ganhando cada vez mais espaço nos mercados, quem sabe as chances dele vir ao Brasil não aumente. Durante a apresentação do conceito, a fabricante dizia que estudava a venda do modelo no mercado brasileiro e, desde então, não comentou mais sobre o subcompacto.