Marca coreana prepara uma ofensiva de carros elétricos a bateria

  • Tesla Model 3 desbancou o Hyundai Kona Electric em sua terra natal
  • Hyundai irá implantar duas linhas de produção para carros elétricos a bateria
  • Montadora é uma das que mais apostam nos veículos a célula de combustível

Conforme apurado pela agência Reuters e outros veículos de imprensa internacionais, a Hyundai está seriamente preocupada com o fato de o Tesla Model 3 ter conseguido a proeza de se tornar o carro elétrico mais vendido na Coreia do Sul, seu reduto. Não fosse o bastante, os acionistas da empresa veem com atenção o valor de mercado da norte-americana se tornar 10 vezes maior que o da gigante coreana. 

Fontes ligadas à agência dizem que a empresa coreana não se preocupou com a Tesla no início, considerando que ela produziria carros elétricos para um público mais abastado. No entanto, a marca de Elon Musk deslanchou com o Model 3 em uma faixa mais acessível e isso tem preocupado a cúpula da Hyundai, que se viu obrigada a rever suas estratégias de mercado para veículos elétricos.

Galeria: Hyundai Kona Electric 2019

Conhecida por seus esforços em relação aos carros a hidrogênio, a marca coreana viu o modelo da Tesla desbancar seu carro-chefe Hyundai Kona em sua própria casa. Diante da situação, a marca já trabalha para introduzir duas linhas de produção dedicadas a veículos elétricos, sendo que a primeira delas estará operando em 2021 e outra em 2024, de acordo com um boletim interno do sindicato acesso pela Reuters.

A ofensiva virá na forma de dois veículos elétricos que serão construídos a partir do zero para a eletrificação, diferente do SUV Kona, um modelo a combustão que ganhou a variante elétrica Kona Electric. Aparentemente, não estamos falando de modelos únicos, mas de duas famílias de veículos elétricos que serão vendidos sob as marcas Hyundai e Kia.

Por um longo tempo, a Hyundai foi uma das poucas empresas automobilísticas que dependiam de veículos elétricos, não de baterias, mas de células de combustível de hidrogênio. No entanto, apenas 7.700 veículos a hidrogênio foram vendidos em todo o mundo no ano passado, em comparação com 1,68 milhão de veículos elétricos a bateria.