Crossover elétrico também teve o coeficiente aerodinâmico revelado.

Apesar de já ter sido revelado externamente após vários flagras, o crossover elétrico Volkswagen ID.4 teve mais teasers divulgados pela marca. Após a apresentação marcada para setembro, rumores apontam que ele já estará à venda nos Estados Unidos (onde também será produzido a partir de 2022) até o final deste ano. 

De acordo com uma matéria do site Automotive News, a Volkswagen lançará um sistema de reservas nos Estados Unidos para o ID.4 no mês que vem, com a exigência de um depósito totalmente reembolsável de US$ 100 (R$ 545). Para confirmar o pedido, o fabricante exigirá US$ 400 (R$ 2.181) adicionais totalmente reembolsáveis.

Galeria: Volkswagen ID.4

Também foi revelado o coeficiente de arrasto para o ID.4, que é de 0,28, um número que a Volkswagen está divulgando com muita pompa. Considerando o padrão de crossovers com motores térmicos, este é realmente um bom indicador. Porém, entre os carros elétricos, 0,28 está longe de ser um recorde. Portanto, o Tesla Model Y, que tem porte próximo ao ID.4, tem um coeficiente de arrasto de apenas 0,23. E o novo crossover da Lucid provavelmente irá superar essa marca também.

A empresa reiterou que, devido à baixa resistência do ar, o ID.4 será capaz de viajar mais de 500 quilômetros com uma única carga de acordo com o ciclo WLTP. Provavelmente, estamos falando de uma modificação com uma bateria de última geração com capacidade operacional de 78 quilowatts-hora.

Para efeito de comparação, a autonomia de um Tesla Model Y com uma bateria de última geração, cuja capacidade é estimada em 75 quilowatts-hora, é de 505 quilômetros de acordo com o mesmo padrão WLTP. Apesar disso, o ID.4 irá se apoiar em outros pilares como a ampla rede de produção e distribuição da Volkswagen e ajudar a emplacar de vez a família de veículos elétricos ID. 

Diferente do hatchback ID.3, o SUV elétrico ID.4 está cotado para o Brasil e deve ser um dos primeiros modelos da família de carros elétricos da marca a estrear no país. No entanto, o modelo não deve desembarcar por aqui tão cedo. 

Fonte: Automotive News