Versão recarregável tem ótimo desempenho e impressiona pelo baixo consumo e ampla autonomia

No Brasil há mais de 1 ano, a nova geração do Toyota RAV4 é vendida por aqui apenas na versão híbrida, que é bastante elogiada pelos equipamentos, desempenho e consumo adequado. Também sabemos que a Toyota definiu o mercado de veículos híbridos em 1997 e, desde então, vendeu impressionantes 15 milhões de veículos desse tipo se tornando líder global em veículos com esse tipo de propulsão. 

No entanto, nós ainda não temos aqui a versão híbrida plug-in (recarregável) do SUV, chamada de RAV4 Prime, que traz ainda mais desempenho, novos equipamentos e a comodidade do carregamento em casa, sem contar a possibilidade de condução no modo totalmente elétrico, sem gastar gasolina. E para mostrar um pouco do que esse RAV4 híbrido plug-in é capaz, nossos amigos da edição norte-americana do InsideEVs fizeram uma avaliação completa do utilitário.

Junte o domínio do mercado de veículos híbridos plug-in com seu utilitário esportivo popular, o RAV4, e eles criaram um veículo que pode ser tão bom quanto um carro elétrico convencional e, em alguns aspectos, até melhor, especialmente quando se trata de viagens de longa distância.

Galeria: Toyota RAV4 Prime - Test Drive

O RAV4 é o utilitário esportivo mais vendido nos Estados Unidos, onde está disponível em 11 versões a gasolina, híbrida leve, híbrida e híbrida plug-in. Com o recente lançamento das duas versões RAV4 Prime PHEV, ao todo são 13 opções deste SUV à escolha que podem atender a vários gostos.

O RAV4 Prime é um híbrido plug-in genuíno que tem uma ótima autonomia rodando somente no modo elétrico, avaliada em 67 km, e em nossos testes, achamos que eles subestimaram um pouco esse alcance à medida que o superamos em 50%.

O que é?

É um utilitário esportivo de cinco portas com tração nas quatro rodas que possui 4.597 mm de comprimento, uma distância entre-eixos de 2.689 mm e 1.854 mm de largura.

Ele é impulsionado por uma combinação de um motor 4-cilindros de ciclo Atkinson 2.5 litros associado a um motor elétrico que aciona as rodas dianteiras e um segundo motor elétrico que aciona as rodas traseiras por meio de um sistema eletrônico de transmissão nas quatro rodas sob demanda para uma potência combinada de 306 cv. A potência é entregue às rodas dianteiras por meio de uma transmissão CVT controlada eletronicamente que sempre parecia saber qual era a melhor relação, além de ser silenciosa e suave.

Com toda essa força, o RAV4 Prime de 2 toneladas pode acelerar de 0 a 96 km/h em apenas 5,7 segundos, tornando-o o segundo veículo mais rápido na gama da Toyota. Com o motor a gasolina e os motores elétricos funcionando, a aceleração é suave e rápida.

Toyota RAV4 Prime Test Drive

Os motores elétricos são alimentados por uma bateria de íons de lítio de 18,1 kWh que pode ser recarregada com um carregador integrado de 6,6 ou 3,3 kW. O SUV é classificado como um veículo de emissões super ultrabaixas (SULEV) e pode funcionar como um veículo apenas a gasolina, elétrico ou híbrido

O RAV4 Prime está disponível em duas versões, Prime SE e XSE. Os trens de força, tamanho da bateria e outros componentes mecânicos são os mesmos em ambos os modelos, com a diferença de que o XSE tem mais recursos e um interior mais sofisticado. O Prime SE começa em US$ 38.100 (R$ 214.200) e o XSE começa em US$ 41.425 (R$ 232.900). Ambos os níveis de acabamento também têm frete de US$ 1.120.

O Prime XSE que testamos tinha todos os opcionais disponíveis, incluindo um sistema de áudio premium, pacote de previsão do tempo e um pacote que adicionava quase todas as outras conveniências e recursos que se pode imaginar, com um preço sugerido de US$ 49.577 (R$ 278.700). Tenha em mente que, por conta de sua autonomia em modo elétrico, o RAV4 Prime se qualifica para descontos e créditos de impostos federais e estaduais.

Como anda?

Durante o tempo em que estivemos com o RAV4 Prime na famosa cor vermelho Supersonic e preto, demos a ele uma tarefa típica que qualquer proprietário de um utilitário como esses poderia fazer, incluindo carregar cerca de 300 quilos de paletes de madeira para nosso sistema de aquecimento doméstico, comprar mantimentos e fazer uma viagem até a California Sierra para visitar amigos. 

O RAV4 Prime tem quase o mesmo tamanho que outros SUVs como o Nissan Rouge, mas ao vivo tem mais presença e se destaca. O RAV fica um pouco mais alto do que a maioria dos outros utilitários da categoria em cerca de 10 cm, mas o acesso e a saída do veículo continuam fáceis. A capacidade de carga é de 948 litros, ou 1.790 litros com a segunda fileira de bancos rebatida. O espaço interno total pelo padrão é EPA é de 2.860 litros e o RAV4 Prime pesa cerca de 1.950 quilos e tem capacidade de reboque de 1.130 quilos.

Toyota RAV4 Prime Test Drive

A instrumentação para o motorista e a tela do sistema de informação e entretenimento eram de fácil visualização e personalizar as configurações no sistema foi muito fácil e intuitivo. Os assentos são confortáveis ​​e ajustáveis ​​em quase todas as direções, mas o banco do passageiro dianteiro curiosamente não tinha ajuste de altura. Com o pacote XSE Premium, os bancos têm aquecimento e climatização. O sistema de som JBL de 11 alto-falantes se saiu bem com um som ambiente e de profundidade - Apple CarPlay e Android Auto são itens de série.

Nossa viagem para Sierra nos fez subir do nível do mar para cerca de 1.370 metros de altitude e, a essa altura da viagem, a carga da bateria já havia caído para cerca de 15%, então estávamos usando principalmente o motor de combustão interna com pouca ajuda dos motores elétricos. Naquele trecho de subida, estávamos fazendo uma média de 15,3 km/l contra a média homologada pela EPA de 16,1 km/l, com velocidade média oscilando de 90 km/h a cerca de 110 km/h em estradas de duas pistas e na interestadual I-5. 

A suspensão do Prime foi impressionante com uma rodagem confortável e equilibrada, muito parecido com algo que você poderia esperar de um Lexus ou Mercedes. A direção também tinha aquela sensação de qualidade que proporcionava uma condução bastante agradável. Nossa única reclamação era que os pneus transmitiam muito ruído da estrada nos trechos em macadame, mas os Yokohama eram pneus para todas as estações, que tinham um padrão de piso mais agressivo - afinal, o RAV4 Prime inclui configurações off-road para a transmissão e o trem de força. A única outra fonte de ruído eram as barras do rack que assobiavam em alta velocidade. Fora isso, a cabine estava fechada como um cofre de banco, sem nenhum ruído ou rangido.

Toyota RAV4 Prime Test Drive

Quando chegamos ao nosso destino, conectamos o cabo do carregador 110V L1 e 4 horas depois o RAV4 estava totalmente carregado e pronto para rodar.

No caminho de volta para a área da Baía de São Francisco, queríamos ver até onde poderíamos ir somente no modo elétrico, então tiramos o pó de nossas habilidades de hypermiling (técnica de conduzir consumindo pouco combustível) e ficamos agradavelmente surpresos. Embora a autonomia declarada no modo elétrico para o RAV4 Prime seja de 67 km, conseguimos acompanhar o tráfego e atingir um alcance excepcional de 100 km antes do motor a gasolina entrar em ação. 

Mesmo assim, com o resto da viagem em uma estrada plana, o motor a gasolina desligaria e acabaríamos rodando apenas com energia elétrica. Com o modo EV poupando o motor a gasolina, nossa faixa de consumo caiu para interessantes 22,1 km/l. A viagem de ida e volta foi de 515 km, metade com uma média de 15,3 km/l e a outra metade com uma média de 22,1 km/l. No final da viagem, o tanque de gasolina de 54 litros ainda tinha cerca de metade do combustível de 87 octanas sobrando para uma viagem com consumo médio de 18,7 km/l.

Um híbrido plug-in é o melhor eletrificado para viagens de longa distância?

Este é um assunto delicado, com fãs de veículos elétricos a bateria (BEV) torcendo o nariz para qualquer coisa que queime até mesmo uma simples gota de petróleo. Mas também há aqueles que acham que usar a ferramenta adequada para cada situação é a melhor abordagem.

Os defensores dos híbridos plug-in afirmam que, neste momento, os carros 100% elétricos são uma excelente escolha para deslocamentos urbanos e interurbanos. Os elétricos brilham quando se trata de viagens em baixa velocidade e são extremamente eficientes no trânsito intenso. Eles são a substituição perfeita para um motorista diário de um carro a combustão, e vários estudos mostram que 85-95% de todos os veículos são conduzidos principalmente nessa condição.  

Mas muitos outros estudos e experiências relatadas pelos proprietários mostraram que as viagens de longa distância são o calcanhar de Aquiles dos elétricos a bateria. No entanto, cada vez mais elétricos estão disponíveis hoje, apresentando dados homologados pela EPA e outros órgãos com autonomia de 480 km ou mais, enquanto na verdade fornecem apenas um terço a menos de alcance do mundo real.

Toyota RAV4 Prime Test Drive

Os atuais elétricos campeões de quilometragem são os carros da Tesla que ostentam mais de 480 km de alcance na maioria de seus modelos e têm uma das melhores infraestruturas de recarga hoje em dia, mas os proprietários ficam surpresos e desapontados quando descobrem que o alcance em velocidades de cruzeiro na vida real de 110 a 130 km/h fica na faixa de 250 a 300 km, bem abaixo do total anunciado. 

Acrescente a isso a necessidade de recarregar mais vezes, o que adiciona uma perda de tempo significativa a uma viagem que em um carro a combustão poderia ser realizada com um tanque de gasolina. Combine a pressa e o tempo de espera perdido no carregamento com a relativa escassez de uma rede de carregamento confiável de alta velocidade em áreas diferentes de interestaduais e áreas urbanas, o que adiciona uma perda significativa de tempo e diversão para dirigir um elétrico puro em uma viagem longa.

Um híbrido plug-in (PHEV), por outro lado, une o melhor dos mundos dos carros a combustão e elétricos a bateria, e permite que o veículo trabalhe com as ferramentas mais eficientes em cada situação. É um elétrico partindo de uma área urbana, veículo a gasolina / elétrico na maior parte do trecho da rodovia de alta velocidade, e volta a ser elétrico assim que o veículo chega ao destino. E como ele não tem uma bateria enorme para recarregar, o carregamento L1 de 110v é realmente útil e rápido.

Um PHEV também não tem medo de se perder na estrada, pois a autonomia de um veículo desse tipo é muito maior do que qualquer elétrico e a gasolina está disponível até mesmo nas estradas mais isoladas. O RAV4 prime pode facilmente realizar uma viagem de 1.000 a 1.200 km sem reabastecer ou recarregar, apesar do sofrimento que você pode impor à sua bexiga.

Portanto, sim, um híbrido plug-in pode ser uma escolha mais racional hoje em dia no lugar de um elétrico se viagens de longa distância forem uma parte significativa do seu uso com o carro. 

Toyota RAV4 Prime Test Drive

Quanto custa:

O Toyota RAV4 Prime está disponível em duas versões de acabamento:

SUV XE AWD: US$ 38.100 (R$ 214.200)

SUV XSE AWD: US$ 41.425 (R$ 232.900)

Frete: US$ 1.120

A popularidade do RAV4 pegou muita gente desprevenida, inclusive a própria Toyota. Combine isso com as restrições da Covid-19, e este RAV4 fabricado no Japão está vendendo tão rápido quanto a capacidade da Toyota produzir o carro e, em alguns casos, os revendedores estão aproveitando a escassez para adicionar um pouco de ágio ao preço. Entramos em contato com o representante da Toyota para saber quando o fornecimento pode alcançar a demanda e eles responderam que “Nossa intenção é aumentar o volume assim que possível para nós, dependendo da situação do mercado na época”.

Cobertura de garantia e manutenção

36 meses / 36.000 milhas (57.900 km) - Compreensiva
60 meses / 60.000 milhas (96.500 km) - Motor
60 meses / sem limite de quilometragem - Corrosão 
96 meses / 100.000 milhas (160.900 km) - Sistema híbrido
10 anos / 150.000 milhas (241.000 km) - Bateria híbrida (transferível entre propriedade) 

Sistemas de restrição de 60 meses / 60.000 milhas (96.500 km) 

ToyotaCare - Plano de manutenção gratuito com a compra ou aluguel de cada Toyota 0 km. Por 2 anos ou 25.000 milhas (40.000 km), o que ocorrer primeiro, cada Toyota novo terá cobertura para todos os serviços normais programados de fábrica, bem como assistência rodoviária 24 horas por dia, 7 dias por semana. 

Conclusão

O RAV4 Prime PHEV é um veículo muito importante para a Toyota e uma parte importante de sua estratégia para oferecer mais de 40 veículos eletrificados novos ou atualizados até 2025. A Toyota continua a ser líder global em veículos híbridos e de combustível alternativo e usará esse domínio de mercado para expandir sua atuação com mais e mais veículos de emissão zero nos próximos 5 anos. 

O RAV4 Prime é um dos seus pontos fortes, baseado em sua liderança em motorizações híbridas e em sua qualidade de longa data, é o melhor SUV de baixas emissões da categoria e uma alternativa válida para um elétrico, especialmente se viagens de longa distância são um fator importante na compra de um veículo elétrico.

No Brasil, o RAV4 é oferecido somente com a opção híbrida convencional que entrega 222 cv de potência combinada e em duas versões de acabamento (S e SX), com preços que partem de R$ 219.990. Ainda não há previsão de chegada desta variante híbrida plug-in ao nosso mercado.