Até 2022, todo modelo da marca terá pelo menos uma versão eletrificada

A Jeep aproveita a visibilidade da CES, feira de tecnologia realizada anualmente em Las Vegas (EUA), para apresentar ao público detalhes a respeito das versões híbridas plug-in dos modelos Wrangler, Renegade e Compass.

Batizadas de "4xe" (sigla que será usada por todos os veículos EVs da empresa), as variantes são parte importante do ambicioso programa de eletrificação da marca, que prevê a oferta de pelo menos uma variante do tipo em cada veículo da gama a partir de 2022. "A eletrificação modernizará a marca Jeep, na tentativa de se tornar líder em tecnologia premium ecológica. Nossos veículos serão os mais eficientes e responsáveis ​​de todos os tempos, com elevado desempenho, capacidade 4x4, maior torque e respostas imediatas", diz um porta-voz.

Galeria: Jeep Renegade Plug-In Hybrid 2019

"Os visitantes da CES terão uma oportunidade única de ver o Wrangler 4xe, o Compass 4xe e o Renegade 4xe", completa o comunicado. O trio faz parte do compromisso da FCA de lançar globalmente mais de 30 modelos eletrificados até 2022. Detalhes mecânicos, porém, não foram revelados. Segundo a Jeep, informações adicionais serão fornecidas nos salões de Genebra, Nova York e Pequim. De todo modo, o lançamento continua confirmado para este ano.

Apesar do mistério, a mecânica dos modelos Compass e Renegade já não é mais segredo. Em ambos, o conjunto mecânico híbrido terá tração integral diferente do tradicional, chamado pela marca de eAWD. Enquanto o eixo dianteiro é movimentado pelo novo motor 1.3 turbo (derivado do nosso 1.3 Firefly e que chegará ao Brasil em 2021), o eixo traseiro é tocado por um motor elétrico que, trabalhando sozinho, chega a 50 km de autonomia. A potência combinada fica na faixa dos 240 cv na versão topo de gama (180 cv do 1.3 mais 60 cv do EV) e 190 cv nos acabamentos de entrada (respectivamente, 130 cv e 60 cv). A recarga da bateria (de íons-lítio e capacidade de 11,4 kWh) será feita pelo motor a combustão ou por tomada (plug-in e com tempo estimado de 3 horas no modo rápido).

Estes dois modelos, vale lembrar, serão em breve trazidos ao Brasil para testes, embora o lançamento comercial não esteja confirmado. Ambos já começaram a ser produzidos em Melfi, na Itália, e devem chegar às concessionárias dos principais países da Europa nos próximos meses. Por aqui, fica a expectativa de que sejam colocados à venda posteriormente.