O CEO da VW aprecia o trabalho de Elon Musk e aposta na mobilidade elétrica

  • Volkswagen quer se transformar em uma moderna empresa de serviços de mobilidade
  • Marca alemã elogia trabalho da Tesla, que acredita estar no caminho certo
  • Porsche foi a única marca alemã a não fechar o segundo trimestre no vermelho

Desta vez foi o número um da Volkswagen em pessoa que teceu elogios ao trabalho de Elon Musk na condução da Tesla. Herbert Diess, de fato, escreveu no LinkedIn (em resposta ao analista alemão Ferdinand Dudenhoeffer) que "em 5 ou 10 anos a empresa mais importante do mundo será aquela que opera em serviços relacionados à mobilidade. Não importa se é chamada Tesla, Apple ou Volkswagen."

Mas de onde vem essa consideração? Simples, pelo fato de que, novamente para citar Diess, a Tesla entregou mais carros do que o esperado, mesmo durante os meses difíceis do isolamento social, obtendo um resultado que muitos consideravam "impossível de alcançar". 

Galeria: Tesla Model Y 2020

A importância da inovação

De todas as marcas do grupo alemão, no entanto, apenas a Porsche não terminou o segundo trimestre de 2020 no vermelho. Mas se, por um lado, a marca de Zuffenhausen acompanhou o nicho de mercado que ocupa com sua gama, reservada quase exclusivamente para clientes que foram menos afetados do que outros pelas consequências da pandemia, a Tesla conseguiu marcar um trimestre recorde para os processos inovadores com os quais gerencia compras e entregas de carros.

Em suma, Elon Musk não produz apenas carros elétricos (sabemos bem disso). Mas propõe um novo conceito de mobilidade que se afasta dos padrões tradicionais da indústria automotiva e estabelece novos padrões em vários níveis, inclusive os do processo de vendas. 

O termômetro do mercado de ações

O fato de o modus operandi de Musk e associados ser apreciado globalmente demonstra o crescimento recorde na bolsa de valores, onde as ações da Tesla quadruplicaram o valor em poucos meses, transformando a empresa de Palo Alto na maior montadora em termos de capitalização à frente de gigantes como Volkswagen ou Toyota.

Eles sabem que o conceito de mobilidade está mudando rapidamente na Volkswagen. Com um plano de investimento de 30 bilhões de euros em 5 anos para apoiar a expansão de carros com emissão zero, a Casa de Wolfsburg está entre as mais ativas quando se trata de transição energética.

O coronavírus (junto com alguns problemas de software) atrasou um pouco a estreia do ID.3, que agora está se preparando para chegar às concessionárias. A partir de hoje também o nome da VW será cada vez mais facilmente associado ao nome dos carros de emissão zero, também em vista de carros como o próximo ID.4 e o futuro ID.1.

Por enquanto, no entanto, o mercado ainda está em estudo e a empresa, que visava a capitalização de US$ 220 bilhões no ano passado, ainda não atingiu a meta. Em suma, o conceito de que a Volkswagen como fabricante está se tornando uma empresa moderna de serviços de mobilidade ainda não foi completamente executado, mas a parte mais difícil do trabalho já foi feita.

Galeria: Volkswagen ID.3 1ST (2020)