Estreando muito cedo, o R8 e-tron não convenceu o público, que ainda não estava preparado para ele

Já faz um bom tempo que a Audi é fascinada por carros esportivos elétricos. Não custa lembrar que dentro de poucas semanas, o fabricante das quatro argolas apresentará o e-tron GT que, segundo rumores, poderia entregar mais de 700 cv em sua versão mais potente. 

Muito antes do e-tron GT, a Audi tentou colocar no mercado um carro elétrico esportivo há quase 10 anos com o R8 e-tron. Foi em 2010 que o fabricante apresentou o projeto-conceito Audi R8 e-tron quattro. Impulsionado por quatro motores, este laboratório sobre rodas desenvolvia 313 cv e impressionantes 459 kgfm de torque com processa de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos

Audi R8 e-tron (2010)
Audi R8 e-tron (2010)
Audi R8 e-tron (2010)
Audi R8 e-tron (2010)

Este primeiro esboço deu origem a uma pequena série de Audi R8 e-tron que o fabricante produziu entre 2012 e 2013. Esses supercarros elétricos, todos vestidos de vermelho, seriam usados ​​para P&D da marca. Ao contrário do conceito, foram equipados com dois motores elétricos que produziam uma potência combinada de 380 cv. Eles aceleraram de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos, mas sua autonomia foi de apenas 215 km (NEDC) e sua velocidade máxima dificilmente poderia ultrapassar os 200 km/h. 

Audi R8 e-tron (2010)
Audi R8 e-tron (2010)

Demorou vários anos para a marca finalmente decidir comercializar um R8 elétrico. Foi em 2015 que a segunda geração do Audi R8 e-tron foi apresentada no Salão Automóvel de Genebra. Ao contrário das tentativas anteriores, desta vez parece que a Audi pretende conquistar alguns clientes.  

Naquela época, nenhum fabricante assumiu o risco de comercializar um supercarro elétrico por vários motivos (exceto a Mercedes com o SLS AMG Electric Drive). Já havia um problema de autonomia, e depois de carregamento, sem falar nos custos de fabricação que eram mais altos que os de um supercarro com motor térmico. A Audi pelo menos teve a audácia de tentar, mesmo que o sucesso ainda estivesse distante.

Audi R8 e-tron (2015)
Audi R8 e-tron (2015)

De fato, um ano após seu lançamento, o Audi R8 e-tron já estava pronto para se despedir. No total, foram produzidas menos de cem exemplares. Mesmo os clientes mais ricos tiveram muito pouco apelo a esta "coisa". É preciso dizer que o Audi R8 e-tron não brilhou nem pelo desempenho, nem pelo preço que rondaria o milhão de euros

Em vez do V10, este R8 elétrico carregava dois motores elétricos cuja potência acumulada era de 462 cv para 920 Nm (540 cv para o térmico). Com uma arrancada de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos, o e-tron acelerou tanto quanto sua contrapartida a combustão. Mas sua velocidade máxima era muito menor, pois estava limitada a apenas 250 km/h.

Audi R8 e-tron (2015)

Em comparação com as tentativas anteriores, a versão de produção tinha uma bateria de 92 kWh, o que lhe dava uma autonomia de 450 km (NEDC). É certo que seu alcance era adequado, mas você tinha que convencer os clientes em potencial a ter que ligar o carro por várias horas para reabastecer, e então, não vamos esquecer, o Audi R8 e-tron é silencioso, não faz nada. barulho... o que não agrada a todos e especialmente aos entusiastas do V10.

Tantos motivos que empurraram o R8 e-tron para a porta de saída, que foi considerado pelo fabricante como um modelo especial. Por exemplo, ela não tinha direito a um configurador online, nem mesmo a um espaço nas revendas da marca. Para fazer a encomenda, você tinha que ir diretamente aos concessionários para fazer o pedido à sede em Ingolstadt. 

O Audi R8 e-tron falhou em destronar a versão térmica por todos esses anos. Ironicamente, e diante de uma indústria automotiva em constante mudança nos últimos anos, a substituição do R8 poderia ser elétrica ou híbrida... o Audi R8 e-tron pode não ter dito sua última palavra.

Galeria: Audi R8 e-tron (2015)