Novas fábricas, plataforma elétrica, produção própria de baterias e vários modelos eletrificados

Durante a conferência para analisar os resultados do terceiro trimestre, Oliver Zipse, CEO da BMW, também fez um balanço das estratégias futuras do grupo alemão, com foco em particular no tema dos carros elétricos e da transformação da produção para se adaptar à mobilidade elétrica.

O executivo da marca bávara confirmou que a montadora irá investir mais de 30 bilhões de euros até 2025 em pesquisa e desenvolvimento e que, graças a esses investimentos, até o final de 2023 haverá no mercado 25 modelos equipados com algum tipo de eletrificação. E também haverá uma gama cada vez maior de 100% elétricos. Mas o que devemos esperar?

Galeria: Flagra - BMW iNext 2021

Planos para 2021

Depois do i3 e i8, verdadeiros pioneiros da mobilidade com emissão zero do fabricante bávaro, e também do Mini Cooper SE, no mercado há alguns meses, e o SUV elétrico iX3, que acaba de ser lançado, a BMW apresentará outros modelos 100% elétricos em 2021.

São eles o i4, que terá como destaque a autonomia de até 600 km, e o iNext, um SUV que será apresentado em poucos dias e que estreará de forma definitiva no final de 2021 para brigar em uma categoria cada vez mais concorrida, onde já estão Tesla Model Y, Ford Mustang Mach-E, Audi Q4 e-tron, entre outros.  

Teste BMW iNext na África do Sul

Os próximos carros elétricos

A seguir, a BMW apresentará outros modelos de emissão zero. Serão variantes de carros já conhecidos que darão as boas-vindas a uma versão totalmente elétrica da gama.

Entre estes, estão o X1, o Série 5 (que também acreditamos ter uma versão M de emissão zero) e o Série 7. Todos eles estarão disponíveis com 4 tecnologias de propulsão diferentes: gasolina, diesel, híbrido plug-in e elétrico, de acordo com a conhecida abordagem "multipower" da empresa.

BMW 545e xDrive

Reorganização da produção

A fabricante alemã já está entre as 5 maiores do mundo em volume de vendas, mas quer crescer ainda mais. Para isso, estabeleceu uma estratégia abrangente que se desdobra em vários pontos-chave.

  • Reorganizar as 4 fábricas alemãs para que cada uma delas seja capaz de produzir carros elétricos
  • Produzir 500.000 carros eletrificados por ano na fábrica de Dingolfing a partir de 2022
  • Produzir baterias de alto desempenho nas fábricas de Leizig e Regensburg
  • Produzir baterias em uma nova planta piloto a partir de 2022 para alavancar a experiência adquirida no campo de células de íon-lítio com o BMW Group e em colaboração com as empresas Northvolt e Umicore.
Oliver Zipse

Digitalização e plataforma elétrica

Além disso, o futuro da BMW se baseará em uma nova forma de conceber carros que favorecerá a transição para uma gama cada vez mais eletrificada e que passará pela digitalização e pelo desenho de novas arquiteturas.

Quanto ao primeiro aspecto, a BMW já colocou no mercado 14 milhões de carros conectados que coletam milhões de informações todos os dias. A empresa quer explorar essa riqueza de dados para direcionar a produção futura e desenvolver tecnologias cada vez mais modernas para apoiar a segurança e a qualidade de vida a bordo.

Quanto ao segundo aspecto, no entanto, a Casa decidiu desenvolver uma plataforma dedicada expressamente à criação de modelos puramente elétricos. Eles nascerão em uma nova fábrica na Hungria, onde esta nova geração de carros com emissão zero ganhará vida por volta de 2025 em diante.

Galeria: BMW Concept i4 2020