O primeiro modelo da plataforma e-TNGA será um SUV médio; arquitetura comporta 400 cv e até 600 km de autonomia

Bastante questionada sobre a sua falta de apetite pelos carros elétricos, a Toyota finalmente tem algo a dizer. A montadora fará isso no primeiro semestre de 2021 com um SUV de médio porte cujo nome, visual e especificações técnicas ainda estão não foram revelados, mas que será baseado em patentes que vazaram há algum tempo na China.

No entanto, a Toyota confirmou que o primeiro elétrico da nova geração vai estrear a plataforma e-TNGA na qual o fabricante japonês irá construir uma gama inteira movida a bateria nos próximos anos. Por ser modular, será utilizado para um compacto, um sedã do segmento C, dois SUVs (o já mencionado será acompanhado por um maior), um crossover e uma minivan. Nada mal como família.

Galeria: Toyota e-TNGA

Modularidade e flexibilidade

Essa gama articulada, que entre outras coisas também terá outros fabricantes como Suzuki e Subaru envolvidos em alguns modelos, é possível graças à grande modularidade da nova plataforma, que pode variar em comprimento, largura e altura, e em termos de distância entre eixos. A lógica por trás disso é baseada no fato de que alguns elementos permanecem fixos (os dois compartimentos do motor e alguns módulos de bateria), enquanto outros podem variar.

Por isso, pode acomodar baterias de três tamanhos diferentes e esquemas de propulsão que utilizam um ou dois motores elétricos, para ter tração nas quatro rodas ou traseira, ou mesmo veículos com tração dianteira. Este último é uma peculiaridade não contemplada, por exemplo, pelo Volkswagen MEB ou pela E-GMP que a Hyundai acabou de apresentar. Pelo menos por enquanto, de fato, os dois concorrentes, no caso de carros com apenas um motor, oferecem apenas tração traseira.

Autonomia até 600 km 

Segundo afirma Koji Toyoshima, engenheiro-chefe do projeto, o e-TNGA terá baterias com capacidade entre 50 e 100 kWh que garantirão, segundo os modelos, autonomias entre 300 e 500 km, com possibilidade de atingir até 600 km nos modelos topo de gama.

No momento são baterias de íon-lítio, provavelmente com células fornecidas pela Panasonic, mas não é certo que no futuro a plataforma já não seja compatível com o estado sólido, uma tecnologia na qual a Casa está se esforçando muito.

Potência de 400 cv

Quanto aos motores, cada unidade será capaz de entregar potências entre 110 e 200 cv aproximadamente. Em veículos equipados com dois motores, portanto, presume-se que picos de cerca de 400 cv podem ser alcançados. É intenção da empresa explorar essas opções de alto desempenho também nos modelos da marca Lexus.

  • Bateria : de 50 a 100 kWh
  • Autonomia : de 300 a 600 km
  • Potência : de 110 a 400 cv
  • Motor : dianteiro, traseiro ou integral

O primeiro modelo baseado na plataforma e-TNGA já está pronto para entrar em produção. Ele será produzido nas linhas de montagem da Fábrica ZEV, uma fábrica construída especificamente para veículos elétricos (ZEV, não à toa, é a sigla para Zero Emission Vehicles).

Foi acompanhado pelo nascimento do ZEV B&D Lab, uma unidade de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias relacionadas com emissões zero que atualmente envolve cerca de 200 engenheiros não só da Toyota, mas também da Subaru e Suzuki, marcas com as quais a montadora japonesa começou uma parceria estreita para encarar a transição energética.