Marca esportiva francesa se tornará 100% elétrica e fará parceria com a Lotus

Junto com a divulgação do seu plano estratégico, a Renault anunciou oficialmente a mudança global de sua marca esportiva Alpine. A marca, que agora tem como único modelo o cupê a gasolina A110, abandonará completamente os carros a combustão e migrará para os veículos elétricos.

A apresentação foi acompanhada por um teaser que mostra três futuros modelos elétricos: um hatchback compacto que será construído na base CMF-B, um crossover baseado no Nissan Ariya montado na plataforma CMF-EV e um carro esportivo que ainda não teve detalhes revelados.

Galeria: Alpine A110 S (2020)

Este último receberá uma arquitetura totalmente nova, que a empresa pretende desenvolver em conjunto com a Lotus. Agora os ingleses estão preparando seu próprio hipercarro elétrico Evija, mas dado o posicionamento da marca francesa, seu chassi deve ser mais simples e barato.

Talvez estejamos falando de um modelo elétrico que irá substituir os carros esportivos a gasolina, relativamente acessíveis, como Lotus Elise e Alpine A110. A este respeito, é interessante lembrar que o primeiro Tesla Roadster foi construído no chassi do Lotus Elise.

O cronograma com as datas de chegada dos novos modelos elétricos ainda não foi definido, mas o plano da Renault é tornar a Alpine uma marca lucrativa até 2025.

As perspectivas do automobilismo da Alpine agora não estão claras. Em 2021, a marca entra na Fórmula 1 por meio do rebranding da equipe Renault. Talvez, no futuro, se faça um movimento reverso, ou a francesa saia totalmente do campeonato. Caso contrário, o carro de corrida Alpine corre o risco de ser o único carro da marca com motor de combustão interna.