Além da extração de lítio, o país vizinho pode receber no futuro linha de produção de baterias para híbridos e elétricos

Poucos dias após anunciar o maior investimento já feio na Argentina, de US$ 334 milhões para a extração de lítio as para baterias de carros elétricos e híbridos, a BMW quer dar mais um passo e agora fala em planos para a produção de baterias no país vizinho. 

Essa nova estratégia para impulsionar a produção local de baterias foi comentada pelo CEO do BMW Group América Latina, Alexander W. Wehr: 

"Faria muito sentido que a produção de baterias para carros elétricos fosse mais próxima das matérias-primas" disse o executivo em uma conferência de imprensa.

"Por isso, do BMW Group queremos dar um grande impulso e estabelecer um elo entre o governo e os fabricantes de baterias, para estabelecer uma industrialização do lítio que vai além da extração da matéria-prima", acrescentou o executivo.

Galeria: BMW 320e e BMW 520e

As novas intenções da BMW na Argentina são divulgadas uma semana após o anúncio do investimento para a aquisição do lítio argentino que será utilizado na produção de baterias para os carros elétricos da marca alemã. 

Em um primeiro momento, o lítio será processado nos centros de produção de baterias na Europa, mas Wehr, um profundo conhecedor da Argentina, prometeu levar a "estratégia de eletromobilidade do BMW Group para a Argentina, porque somos fãs da Argentina".

Apesar disso, o executivo ainda não definiu quando os carros híbridos plug-in e 100% elétricos da BMW começarão a ser vendidos no país vizinho. Ele aguarda por uma definição na política local para carros eletrificados e também de negociações com importadores para decidir qual será o portfólio eletrificado por lá. 

Por fim, afirma esperar que se desenvolva um "mercado mais relevante, porque atualmente poderíamos vender 300 veículos eletrificados, enquanto que este ano está prevista a venda de 3.000 carros desse tipo no Brasil e 5.000 no México".

Fonte: Autoblog

Galeria: BMW i4 2022