SUV elétrico também ajudou a Volkswagen a assumir a liderança entre as marcas, com 34% de participação em abril

Em abril de 2021 o mercado automotivo na Europa cresceu 261% em relação ao mesmo mês do ano passado. Mas, em comparação com abril de 2019 (quando os efeitos nocivos da pandemia ainda não estavam presentes), as vendas caíram 23%. Em resumo, o mês passado foi o pior abril dos últimos 20 anos. 

Em um cenário de luta por sinais de recuperação, são os carros elétricos que mais uma vez fazem história. Simplesmente porque seu crescimento é amplificado pela contração do mercado como um todo. Assim, os elétricos a bateria e os híbridos plug-in atingiram uma cota de participação de 15%, com os 100% elétricos crescendo 338% (71.500 unidades) e os plug-ins fechando o mês com consistentes 507% de aumento (81.000 unidades).

Galeria: Volkswagen ID.4 GTX (2021)

Volkswagen domina

Além dos números, o interessante é que o mercado de elétricos está mudando de uma forma geral. Dentro da categoria "emissões zero", novas tendências estão sendo criadas, com os clientes mostrando uma maior procura por SUVs com o VW ID.4 na liderança, o que de fato leva a Volkswagen ao topo na Europa.

Liderando o ranking de vendas de carros elétricos nos 26 mercados europeus figura a marca alemã. O primeiro lugar ficou com o ID.4 (recentemente também disponível na versão GTX), enquanto o segundo foi para o ID.3. É a primeira vez que um SUV conquistou o degrau mais alto do pódio em termos de volume de vendas entre os carros com emissão zero.

  • VW ID.47.335
  • VW ID.35.735
  • Renault Zoe: 4.015
  • Peugeot e-208: 3.533
  • Hyundai Kona EV: 3.383
  • Fiat 500 elétrico: 3.240
  • Kia e-Niro: 3.150
  • VW e-up!: 2.925
  • smart EQ fortwo: 2.610
  • Nissan Leaf: 2.394 

"Os sinais de que isso iria acontecer estavam todos lá - disse Felipe Munoz, analista da Jato Dynamics - Com o ID.4 começou uma nova era para a mobilidade elétrica, uma era em que, como acontece com os carros a diesel e a gasolina, os utilitários esportivos e os crossovers são os mestres". 

Munoz tem certeza: com a chegada de outros SUVs elétricos movidos a bateria, a categoria dominará inteiramente o mercado de carros elétricos.

ID.4 é o carro-chefe

Desde o momento do lançamento (e até mesmo antes) a Volkswagen havia dito que o ID.4 teria um papel fundamental na transição energética da montadora. Deixando de lado o fato de que, ao contrário do ID.3 (do qual uma variante de alto desempenho está sendo estudada), ele será vendido em todo o mundo e é um SUV. E SUVs, como sabemos, vendem muito bem.

Tão bem que graças ao ID.4, a VW chegou ao topo das montadoras em número de carros elétricos vendidos e conquistou uma participação de 34%. Considerando toda a gama (incluindo modelos a combustão), a VW fica com ainda expressivos 27% de participação.

A explicação é simples: os carros elétricos estão consumindo parte das vendas dos carros a gasolina e a diesel. O Golf, por exemplo, foi o terceiro carro mais vendido no geral em abril de 2021 (atrás do Peugeot 208 e 2008), mas registou uma queda de 49% na comparação com o mesmo mês de 2019. Se em abril de 2018 representava 2,93% dos emplacamentos em todo o mercado, agora não passa de 1,73%.

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram

Galeria: Volkswagen ID.3 (2020) - teste