Incentivos, bônus e ampliação das estações de carregamento são responsáveis pela expansão dos eletrificados no país

Maior economia da Europa, a Alemanha já atingiu um marco importante na expansão da mobilidade sustentável. Não há como desprezar a marca de 1 milhão de carros eletrificados (elétricos e híbridos plug-in) que a frota em circulação no país alcançou neste mês. 

O anúncio veio de Peter Altmaier, ministro da Economia, nas páginas do jornal local Der Tagesspiegel. A meta, "que todos consideravam inalcançável", estava mesmo fixada para 2020. Também por culpa da pandemia, sofreu alguns atrasos: Mas "apenas por seis meses", lembra com orgulho Altmaier.

Galeria: Volkswagen ID.4 - primeiras entregas na Alemanha

Incentivos

Quem merece o crédito por todo este sucesso? Em primeiro lugar, os incentivos de compra. Lançados em junho de 2016, eles já ajudaram os motoristas a comprar mais de 530.000 veículos com uma quantia combinada de cerca de 2,1 bilhões de euros. "E no primeiro semestre de 2021 - explicou o ministro alemão da Economia - foram utilizados mais bônus do que no ano anterior, num total de 1,25 bilhão de euros".

Cerca de metade dos automóveis financiados em 2020, com um preço de tabela não superior a 40.000 euros, são totalmente elétricos (com um bônus até 9.000 euros), enquanto os restantes 50% são representados por híbridos plug-in (6.750 euros).

peter-altmaier (1)
Peter Altmaier, Ministro da Economia da Alemanha

Além disso, há os planos das montadoras, incluindo BMW e Volkswagen, que também impulsionam a eletrificação. Mas alguns agradecimentos também vão para Elon Musk, que está anunciando a mobilidade sustentável com a Tesla Gigafactory em Berlim. Por último, mas não menos importante, o uso generalizado das estações de carregamento: são 37.705 com recarga lenta e 6.395 com carga rápida instaladas na Alemanha.

Metas

A próxima meta estipula 7 milhões de carros eletrificados em circulação até 2030. Ou talvez até 10 milhões. "Outra etapa - continua Altmaier - será criar um mercado de carros usados para esse tipo de veículo. Mesmo hoje, nem todos os cidadãos podem pagar por um novo; isso não é diferente da realidade para os motores de combustão".

A Alemanha também pretende estimular a produção de baterias , criando outros 20.000 empregos . Todas essas políticas fazem parte do plano de Berlim para “operar de forma neutra para o clima já em 2045”. Com cinco anos à frente do resto da União Europeia.

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram