Marca britânica lançará mão de dois novos SUVs para recuperar espaço no mercado

  • Inédito SUV elétrico usará uma nova plataforma desenvolvida em conjunto com a Great Wall
  • Utilitário usará a nova bateria livre de cobalto da SVolt
  • Modelo será produzido na China para o mercado global

Com dois anos consecutivos de queda nas vendas, a Mini traça uma nova estratégia para recuperar espaço no mercado. E de acordo com o site Autocar, a marca britânica planeja uma jogada ousada com o lançamento de dois inéditos SUVs produzidos na China, sendo o menor deles 100% elétrico.

Segundo a matéria, o primeiro modelo da Mini produzido no país asiático será um pequeno crossover com porte semelhante ao BMW X1 e que terá propulsão elétrica. O desenvolvimento está sendo feito pela joint venture entre a empresa britânica e chinesa Great Wall.

Galeria: Mini Countryman (2020)

O interessante é que segundo foi apurado, a novo crossover elétrico será construído sobre uma plataforma completamente nova em vez de alguma arquitetura usada pela Mini/BMW. Outro destaque é o fato der ser equipado com a nova geração de baterias isentas de cobalto da Svolt, que foi revelada há poucos dias e deverá equipar também modelos da Great Wall.

Embora não haja nenhuma confirmação disso, a matéria especula que novo "Mini chinês" pode ser batizado de Paceman e terá a missão de substituir o totalmente elétrico BMW i3, um modelo que deve permanecer no mercado até 2024.

Maior mudança no portfólio da Mini desde 2001, quando a marca passou a ser propriedade da BMW, a joint venture também desenvolve em paralelo um SUV com motor a combustão que pode ser batizado de Traveler.

Ambos serão produzidos na China e chegarão a mercados como Europa e Estados Unidos. O local de produção é uma fábrica que atualmente está em construção e deve ficar pronta em 2022. A unidade terá capacidade para produzir 160 mil carros por ano das marcas Mini e Great Wall Motor.