Empresa americana pode ser excluída do programa de subsídios do governo para compra de veículos elétricos

  • Governo sul-coreano pretende cortar os subsídios para carros elétricos da Tesla
  • Marca norte-americana tinha se tornado a empresa que mais vende carros elétricos no país

No primeiro semestre de 2020, a Tesla tornou-se líder em vendas de veículos elétricos na Coreia do Sul, ultrapassando as montadoras locais Hyundai e Kia. Além disso, a empresa de Elon Musk se tornou a empresa automotiva com maior valor de mercado do mundo, superando a gigante automotiva Hyundai-Kia em mais de dez vezes.

Isso causou uma séria preocupação entre as montadoras coreanas. Por conta disso, a Hyundai decidiu acelerar seu projeto de desenvolvimento de veículos elétricos e até anunciou o lançamento de uma nova divisão, IONIQ, exclusiva para essa finalidade. 

Galeria: Tesla Model 3 2018

No entanto, na Coreia do Sul, eles encontraram outra maneira de influenciar o ritmo do mercado, escreve a publicação Korea Herald. As autoridades locais simplesmente vão excluir os modelos da Tesla da lista de veículos elétricos que podem ser comprados com subsídios estatais, sob a alegação de que os carros de Elon Musk estão no segmento premium do mercado e as autoridades locais querem apoiar as marcas generalistas. 

No final das contas, a Tesla foi responsável por até 43% de todos os subsídios do governo coreano pagos no primeiro semestre do ano. Em termos monetários, isso equivale a nada menos que US$ 176 milhões.

As marcas coreanas Hyundai-Kia oferecem seus veículos elétricos no mercado doméstico. Tratam-se de projetos menos tecnológicos que os produtos da Tesla, uma vez que não são carros elétricos criados do zero, mas versões baseadas em carros a combustão. Os modelos da marca IONIQ serão elétricos nativos, mas só começarão a chegar ao mercado a partir de 2021.