Marca chinesa diz que a versão atualizada do seu menor carro elétrico estreia em dezembro

Durante o lançamento do novo Tiggo 5X na China nesta semana, a Chery declarou oficialmente que introduzirá a versão atualizada do Chery eQ1 no final deste ano. Não são esperadas mudanças radicais no visual e o maior destaque será o ganho em autonomia, que deve passar dos atuais 301 quilômetros (ciclo NEDC) para mais de 400 quilômetros com uma única carga. 

Trata-se do menor carro elétrico da Chery à venda na China, o maior mercado do mundo para automóveis a combustão e também para os totalmente elétricos. Embora seu nome oficial seja Chery eQ1, o modelo também é conhecido pelo sugestivo nome de Little Ant (formiguinha), um subcompacto de três portas para quatro ocupantes que mede 3,20 metros de comprimento (37 cm a menos que um Fiat Mobi) e foi lançado no país asiático em 2017. 

Galeria: Chery eQ1 - China

Rapidamente ele se tornou um sucesso e as vendas acumuladas já ultrapassaram as 150.000 unidades. Com base nisso, a marca lançou uma edição especial para celebrar o marco em setembro de 2020, com um novo esquema de cores e configuração atualizada, mas mantendo a autonomia de 301 quilômetros pelo ciclo NEDC.

Pode parecer pouco alcance, mas estamos falando de um carro subcompacto com proposta estritamente urbana, então não é algo tão ruim. Em uma rápida análise, temos vários modelos elétricos de maior porte que sequer chegam a este patamar. No entanto, a sede dos chineses por mais autonomia fez a Chery atualizar as baterias para conseguir superar os 400 km com uma carga no modelo atualizado que deve estrear em dezembro.

Chery eQ1 3.4 traseira
Esta opção de pintura é exclusiva do eQ1 série 'Queen Edition'

Apesar disso, ele deve manter o motor elétrico de 30 kWh (41 cv) de potência e 12,2 kgfm de torque máximo, suficiente para que o carrinho acelere da imobilidade a 100 km/h em apenas 6 segundos, de acordo com a Chery - a velocidade máxima é limitada aos mesmos 100 km/h. Para recarregar 80% da bateria são necessários 30 minutos. 

Maior mercado global de veículos elétricos, a China impressiona pela quantidade de opções em diversos segmentos. No caso desta 'formiguinha' os principais atrativos são as dimensões curtas, bom espaço interno para o porte do carro, baixo consumo de energia, agilidade para o trânsito urbano e baixo custo de aquisição com preço inicial de 59.800 RMB (R$ 50.432). Será que ele seria uma boa pedida para o Brasil

Fonte: AutoHome