Montadoras reunidas criaram estratégia para tornar o transporte pesado rodoviário neutro em carbono

O transporte rodoviário se prepara para enfrentar um dos desafios mais exigentes de todos os tempos. A ACEA (European Automobile Manufacturers Association) decidiu, de fato, fazer com que o setor seja neutro em carbono até 2050. E para isso, decidiu que a partir de 2040 apenas caminhões com emissão zero poderão ser vendidos.

Iniciativas mais ou menos estruturadas em veículos movidos a hidrogênio ou elétricos já foram lançadas por um ou mais fabricantes, mas agora o setor decidiu se mover de forma orgânica e coordenada. Para chegar ao resultado desejado, as montadoras questionaram os cientistas do Instituto de Pesquisas de Impacto Ambiental de Potsdam (PIK), que ajudarão a definir as etapas a serem seguidas.

Galeria: Hyundai Xcient Fuel Cell - início de vendas

Um papel fundamental

"Neste período a luta contra as alterações climáticas é a prioridade - disse Henrik Henriksson, presidente da ACEA e CEO da Scania - ao mesmo tempo, com a pandemia tivemos a confirmação do papel crucial do transporte rodoviário para o abastecimento de alimentos, medicamentos e outras necessidades básicas".

eletrificação de auto-estrada A35 de scania

A ideia partilhada pelos associados da ACEA é que os caminhões e veículos comerciais em geral são fundamentais como ferramentas à serviço da sociedade e continuarão a sê-lo nos próximos anos. É por isso que se estabeleceu que a transição para formas de mobilidade não relacionadas aos combustíveis fósseis é necessária.

Intervenções essenciais

ACEA e PIK já publicaram uma declaração de intenções para tornar o setor verde. Além dos investimentos dos fabricantes de veículos comerciais, são solicitadas intervenções de outros sujeitos para apoiar a mobilidade sustentável. Isso representa um impulso decisivo para a adoção de veículos com emissão zero em um campo em que o diesel tem sido, até agora, claramente a alternativa mais barata. Eles pretendem:

  • Pedágios em trechos de rodovias também fixadas com base nas emissões de CO2
  • Um sistema de tributação baseado na eficiência energética dos veículos
  • Uma infraestrutura de carregamento e reabastecimento dedicada a veículos pesados ​​com emissão zero

Dupla função

Johan Rockstrom, pesquisador do PIK, explica a necessidade de reduzir as emissões de CO2 do transporte rodoviário da seguinte forma:

"Se quisermos evitar cruzar o ponto sem volta e preservar o sistema terrestre, devemos agir agora. A adoção de veículos elétricos trará dois benefícios indiscutíveis". 

  • redução das emissões de CO2 na atmosfera, com consequente impacto positivo no meio ambiente
  • melhoria da qualidade do ar, com efeitos benéficos na saúde da população e considerável economia de custos

Galeria: Caminhões Renault: Z.E. caminhões elétricos e vans