O BYD King já está em pré-venda no Brasil. Faltando poucos dias para o lançamento oficial, o sedã híbrido plug-in da BYD fez sua primeira aparição pública neste domingo (16) no programa Domingão, ao mesmo tempo em que a marca chinesa liberou o site de reservas do modelo. 

Quanto vai custar?

Inicialmente, com base nos preços praticados no México e, fazendo sua equivalência para o nosso mercado, especulou-se que ele poderia custar abaixo de R$ 180 mil. No entanto, a BYD enfatizou que seu alvo era mesmo o Corolla Hybrid, que custa acima dessa faixa (R$ 190 mil para ser preciso). Segundo apuramos, o BYD King irá custar entre R$ 190 mil e R$ 200 mil, com desconto de R$ 6 mil no período de pré-venda, fazendo o valor inicial ficar em R$ 184.000. 

O BYD King é uma versão mais atual do Qin Plus, que já foi visto em testes no Brasil mas foi descartado pela marca. É baseado no Destroyer 05, porém com um nome mais adequado para o mercado internacional.

O design externo, embora não seja tão arrojado quanto o dos modelos BYD Han ou BYD Seal, apresenta linhas modernas e elegantes, com faróis e lanternas traseiras em LED, rodas de liga leve de 17 polegadas em dois tons, grade com detalhes cromados e um perfil com teto alongado na parte traseira.

Navio da BYD desembarca King e Song Pro em Suape

Sedã médio

Tem 4,78 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,49 m de altura e 2,71 m de entre-eixos, enquanto o porta-malas tem capacidade para 450 litros. Como comparação, o Toyota Corolla mede 4,63 m de comprimento, 1,78 m de largura, 1,45 m de altura e 2,70 m de entre-eixos, já o seu porta-malas carrega 470 litros.

PHEV vs HEV

A disputa com o Corolla irá além de estar no mesmo segmento, pois ambos são híbridos. Mas aqui temos uma diferença crucial: o sedã da Toyota utiliza um sistema híbrido convencional, com motor 1.8 de 122 cv no total e uma bateria de 1,3 kWh, que é recarregada pelo próprio veículo durante as frenagens. Já o King possui um sistema híbrido plug-in com um 1.5 e um motor elétrico, entregando 204 cv de potência combinada, mas com uma bateria maior de 8,3 kWh, que fornece uma autonomia de 50 km no modo elétrico. A BYD promete uma autonomia combinada de 1.200 km e um consumo de 25,6 km/litro.

Duas versões

Outro destaque é o que sedã híbrido plug-in está sendo vendido por aqui em duas versões. O primeiro modelo GL tem bateria de 8,3 kWh (para alcance de 50 km) e o mais equipado com GS tem uma bateria maior (18,3 kWh), a mesma que foi adotada pelo Song Plus vendido aqui e garante autonomia elétrica próxima dos 100 km. 

De resto, o King também sai na frente em termos de equipamentos e tecnologia: quadro de instrumentos digital de 8,8 polegadas e tela do sistema de informação e entretenimento com 12,8". Também possui comandos de voz, rede 4G, serviço de nuvem, atualizações remotas e pacote de assistência ao motorista que inclui controle de cruzeiro, assistente de permanência em faixa e reconhecimento de sinais de trânsito, entre outros itens.

Primeiro modelo da "ofensiva de híbridos da BYD" neste ano, o King tem potencial para alavancar as vendas da marca e incomodar nomes bem conhecidos do segmento, a exemplo do Corolla. Será que vai emplacar com esse preço estimado?