Seria um SUV de sete lugares que acelera de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos

A Dyson é uma empresa conhecida nos Estados Unidos por sua linha de eletrodomésticos, mas há pouco tempo procurava entrar no segmento automotivo com um veículo que parecia ser bastante atraente. O projeto custou a Dyson cerca de US$ 606 milhões, mas nunca se materializou em um modelo de produção porque agora foi cancelado. 

Agora, descobrimos novos detalhes sobre o SUV elétrico Dyson de sete lugares e, com base nas informações apresentadas pelo The Times, é realmente uma pena que não tenha se tornado um veículo que você pudesse comprar. Por quê? Bem, porque parecia bom, tinha um interior conceitual elegante e especificações líder de segmento.

Dyson Car

A fonte revela que o veículo, cujo codinome era N526, seria capaz de proporcionar 960 km de autonomia com uma única carga (isso é bem mais do que o alcance mais longo do Tesla Model X com seus 561 km). O que torna esse feito ainda mais impressionante é a afirmação de que ele ainda pode atingir esta marca em condições de baixa temperatura enquanto é conduzido a expressivos 110 km/h.

No que diz respeito ao seu desempenho, aparentemente era capaz de atingir 100 km/h em 4,8 segundos e tinha uma velocidade máxima de 201 km/h. Isso é o resultado da força de dois motores elétricos cuja produção combinada é de 543 cv de potência e 66,2 kgfm de torque.

Dyson Car

Em termos de design, o protótipo N526 era um SUV baixo, de aparência não muito radical, embora tivesse a coluna A deslocada drasticamente para trás e um visual fastback na traseira. No interior, era descaradamente minimalista, com alguns detalhes de acabamento bastante interessantes e um painel muito limpo e organizado.

A matéria também sugere por que o projeto foi finalmente cancelado; Dyson teria que vender o utilitário esportivo elétrico por US$ 182.000 e isso impediria que ele fosse competitivo, mesmo com seu impressionante alcance. A empresa provavelmente iria perder dinheiro com a venda e decidiu não fazê-lo.

A boa notícia aqui é que, embora o projeto N526 esteja morto, Dyson ganhou muita experiência em desenvolvê-lo e poderá tentar novamente no futuro, quando encontrar um caso comercial mais viável e com maiores perspectivas de lucro.

Fonte: The Times via Engadget