Os serviços de entrega estão buscando cada vez mais veículos elétricos e tecnológicos.

O isolamento social provocado pela pandemia se refletiu em um aumento considerável no comércio eletrônico na maioria dos países. No caso dos Estados Unidos, especialmente na Califórnia, os operadores de frotas de entregas sofrem uma pressão regulatória para a aquisição de veículos elétricos, mas está havendo um aumento de preferência pelos modelos zero emissões motivada por outras razões.

Atualmente, um número cada vez maior de empresas quer migrar para os veículos zero emissões independentemente das exigências legais. Na verdade, eles querem muito mais do que apenas versões elétricas dos modelos movidos a gasolina ou a diesel e estão de olho em veículos tecnológicos que possam coletar dados e atualizar recursos de segurança, bem como oferecer condução autônoma para tornar seus negócios mais eficientes e rentáveis.   

Galeria: Mercedes-Benz e Amazon - frota elétrica

"Para nós, não se trata apenas de fazer as rodas girarem com um veículo de emissão zero", disse Scott Phillippi, diretor sênior de manutenção e engenharia de frota da UPS, que prevê veículos "como o Tesla" na vasta frota da empresa. "Trata-se de um veículo de tecnologia integrada - e é isso que realmente buscamos".

Graças à sua capacidade de enviar atualizações e correções sem fio para os carros elétricos de seus clientes, a Tesla é vista como uma referência em termos de eletrificação. Empresas como a UPS e a Amazon têm grande interesse em aproveitar esses recursos para ter controle e atualização de suas frotas em tempo real. 

Além das empresas citadas, outras atuantes no ramo de entregas de comércio eletrônico estão moldando aos poucos o segmento de veículos comerciais de zero emissões, composto por vans e caminhões elétricos. Essa demanda tem crescido com os menores custos das baterias e a autonomia cada vez maior.

Fonte: Reuters

Galeria: UPS - Serviço de entrega