O anúncio foi feito na Conferência Mundial de Inteligência Artificial de Xangai

  • Elon Musk disse: "A condução autônoma nível 5 se tornará realidade em breve"
  • Nova versão do Tesla Autopilot deve ser revelada nos próximos meses

A Conferência Mundial de Inteligência Artificial que abriu suas portas em Xangai não poderia ter feito sua estreia de uma maneira mais espetacular. Na conexão de vídeo, um radiante Elon Musk interveio declarando que Tesla está muito perto da condução autônoma - nível 5. 

"Estou muito confiante de que a direção autônoma nível 5 é possível e acredito que isso se tornará realidade muito em breve" , disse o número 1 da Tesla.

A declaração parece seguir a linha do que foi anunciado recentemente sobre o Autopilot, que dentro de alguns meses deve se atualizar em uma versão completamente nova e bastante evoluída.

Galeria: Tesla Autopilot

E isso, para a Tesla, pode ser uma grande vantagem contra a concorrência. Se, por um lado, de fato, muitas empresas investiram bilhões no desenvolvimento da direção autônoma - da Alphabet com Waymo ao Uber - por outro, muitos fabricantes de automóveis explicaram que, por causa do Covid-19, tiveram que revisar os planos de investimento.

E assim, para não desacelerar o desenvolvimento indispensável do carro elétrico, cujos projetos foram iniciados (e financiados) anos atrás, eles poderiam necessariamente reduzir a pesquisa sobre tecnologias de auxílio à condução. A Tesla, portanto, que se antecipou com o cronograma desses dispositivos, poderia desfrutar de uma boa vantagem competitiva. 

Precisamente para aumentar o número de unidades de controle a bordo dos carros e oferecer suporte a sistemas de cálculos cada vez mais complexos, a Tesla está trabalhando não apenas no software, mas também no hardware.

Em particular, está desenvolvendo sistemas inovadores de gerenciamento de calor e sistemas de refrigeração 'da casa' para unidades de controle cada vez mais avançadas. De acordo com Musk, isso também contribuirá para o futuro marketing de carros capazes de rodar sem o motorista (ou melhor, o passageiro), além de definir o destino a ser alcançado.