Recurso será utilizado para o desenvolvimento de veículos e infraestrutura de eletrificação

O grupo FCA recebeu um empréstimo do Banco Europeu de Investimento no montante de 485 milhões de euros, o que equivale a R$ 3 bilhões em uma conversão direta. Esse recurso dará suporte ao desenvolvimento de carros elétricos e híbridos plug-in na fábrica de Pomigliano d'Arco e também de soluções de ponta em termos de eletrificação, conectividade e condução autônoma nos centros de pesquisa de Torino.

Um plano para 2023

A soma desses novos recursos irá cobrir nada menos que três quartos de todo o valor que a FCA alocou para o processo de transição energética para a mobilidade elétrica a ser implementado no período de 2020 a 2023.

Galeria: Fiat 500 elétrico 2020

A FCA pode usufruir do montante por uma taxa de juros particularmente vantajosa dada a nota "triplo A" das emissões de obrigações do Banco Europeu de Investimento e com a obrigação de reembolsar o montante recebido em 5 anos.

Dez anos de financiamento

Não é a primeira vez que a FCA recebe dinheiro do Banco Europeu. De 2010 até hoje, o órgão da União Europeia interveio para apoiar o grupo de Torino várias vezes, alocando um total de 3,2 bilhões de euros para apoiar a inovação.  

Galeria: Jeep Renegade e Compass 4xe

Em 2019, por exemplo, o fabricante de Torino recebeu cerca de outros 300 milhões para o triênio 2019-2021: eles foram usados ​​principalmente para a construção das linhas de produção do Jeep Renegade e Compass em Melfi e para a 500 Elétrico, que sai da fábrica de Mirafiori, onde acaba de ser inaugurado o maior projeto de V2G (veículos que podem enviar energia à rede elétrica) do mundo.