Concessionários que não abraçarem a ofensiva elétrica terão compensações de até US$ 500 mil

A Tesla não decidiu trabalhar sem uma rede de concessionárias sem um motivo. Os carros elétricos exigem muito menos manutenção se forem bem construídos e tiverem o controle de qualidade adequado. Isso dificulta o lucro dos concessionários além da venda de veículos novos. Isso é apenas uma parte dos motivos para GM oferecer a todas as suas concessionárias Cadillac a chance de cair fora da ofensiva de elétricos com compensações de até US$ 500.000.

O outro motivo é que a Cadillac já luta há muitos anos para reduzir sua rede de concessionárias. Johan de Nysschen tentou fazer isso em 2016, quando ele estava no comando da empresa, porque pensava que a Cadillac tinha "muitos revendedores", como o Automotive News destaca. Nesse sentido, a transição para veículos elétricos pode ser útil.

Galeria: Cadillac Lyriq

Vale lembrar que o modelo de negócio da concessionária como o conhecemos mudará profundamente. A Polestar apresentou um modelo de vendas que parece ser direto, mas que na verdade depende das concessionárias para entrega e manutenção. A Volkswagen desenvolveu uma estratégia de vendas híbrida chamada modelo de agência. E muitos mais podem surgir em breve. 

Embora uma forte rede de concessionárias seja importante para carros com motor de combustão, isso também pode ser um aborrecimento. Os contratos antigos podem permitir que eles não sigam todas as novas diretivas que um fabricante decida estabelecer, o que cria uma inconsistência no nível de serviço que a rede de concessionários oferece.

Em uma comparação, é por isso que você costuma comprar batatas fritas boas e crocantes do McDonald's em algumas lojas e fritas moles e oleosas em outras. Algumas dessas lojas possuem contratos antigos que não as obrigam a seguir regras de controle de qualidade. Se o McDonald's tivesse a chance de tirar esses caras do mercado sem ter que pagar uma multa pesada, ele o faria.

Cadillac Lyriq

Provavelmente não é o caso de todos os revendedores Cadillac que decidem desistir de vender seus carros, mas muitos podem se encaixar na descrição. Além dos VEs exigirem menos tempo de serviço, eles também precisarão fazer novos investimentos em equipamentos e treinamento. Eles serão obrigados a gastar pelo menos US$ 200.000 nessa mudança.

Concessionários saudáveis ​​e fortes ficarão mais do que felizes em fazer isso. Aqueles que não ganham dinheiro suficiente podem preferir pegar US$ 500.000 ou um pouco menos em vez de gastar no mínimo US$ 200.000.

Como Darwin ajudou as pessoas a perceberem, não é o mais forte que necessariamente sobrevive: é o mais adaptável à mudança. Isso se encaixa muito bem nesta situação com as concessionárias da empresa: a seleção natural fará com que vendam veículos elétricos ou deixem de existir.