O Estrema Fulminea pode acelerar de 0 a 320 km/h em apenas 10 segundos

Chamar um carro de Fulminea e produzi-lo com a marca Estrema significa realmente elevar a expectativa do público. Em uma análise mais detalhada, no entanto, o novo Estrema Fulminea tem tudo para surpreender. 

Bem italiano, será movido por um trem de força híbrido. Híbrido não, porque, como queremos dizer hoje, combina uma máquina térmica com uma ou mais unidades elétricas, mas porque alimenta motores elétricos com uma bateria de estado sólido combinada com supercapacitores (nos quais a Lamborghini também está trabalhando). O Lightning Extreme, em resumo, mantém emissões completamente zero.

Uma nova aventura

Mas vamos começar do início. A Automobili Estrema é uma montadora de automóveis nascida em outubro de 2020 da vontade de Gianfranco Pizzuto, um pioneiro no setor da mobilidade elétrica (foi, entre outras coisas, co-fundador da Fisker) que decidiu iniciar este novo ambicioso projeto e que atua em Tirol do Sul, Turim e Modena e que deu à luz ao Fulminea.

Extreme Lightning

Um mar de cavalos

Ainda mostrado sob um véu que acaba de ser levantado para mostrar uma parte do nariz e um fragmento da parte traseira, o Estrema Fulminea é - em suas formas - um carro esporte intransigente: frente afiada, lateral musculosa, traseira com um extrator e uma série de apêndices aerodinâmicos que sugerem a necessidade de controlar os fluxos de ar para garantir estabilidade e segurança em velocidades muito altas.

E de fato, olhando os dados declarados, ele promete um 0-320 km/h  em menos de 10 segundos. Isso graças a 4 motores elétricos que desenvolvem um total de 1,5 MW de potência, equivalente a 2.040 cv. São alimentados pela referida bateria "híbrida", com uma capacidade de 100 kWh, o que garante autonomia de cerca de 520 km de acordo com o ciclo WLTP.

  • Bateria : 100 kWh
  • Potência máxima: 2.040 cv
  • 0-320 km/h : <10"

Nas asas da leveza

Como qualquer esportivo que se preze, o Fulminea adotou inúmeras soluções para a contenção de peso. Carbono, por exemplo, foi usado para a carroceria e estrutura. Mas é a bateria que representa a verdadeira ponta de lança do projeto. 

Desenvolvido em colaboração com o grupo ABEE (Avesta Battery & Energy Engineering) e com a Imecar Elektronik, tem uma densidade de energia de 450 Wh/kg e, portanto, pode pesar menos de 300 kg (para efeito de comparação, o mesmo peso de uma bateria de 42 kWh do Fiat 500 elétrico).

O Estrema Fulminea, que no total não ultrapassa 1.500 kg, será produzido inicialmente em 61 unidades e também será aprovado para uso rodoviário. Ele chegará ao mercado no final de 2023.